Acesso a Capital para scale-ups: os efeitos do Covid-19

Foto por Freepik.

Nesse material, compilamos aprendizados e insights de mentores da rede da Endeavor sobre como gerenciar seu caixa nesse momento de crise e quais são as alternativas de acesso à crédito disponíveis nos bancos.

Papel do CEO

  • Envolva as lideranças e comunique o cenário, a necessidade de ações, quais ações serão tomadas e qual o período para novas avaliações e decisões.
  • Identifique 4 ou 5 grandes projetos que serão desdobrados em planos de ação com acompanhamento da diretoria e gerência semanalmente.
  • Deixe cada diretor como dono de 1 projeto, controlando recursos (orçamento) e prazos dos mesmos.
  • Envolva todos nas solução do problema e com otimismo que o desafio será vencido com a participação de todos.

Criação de Cenários

  • Faça um plano de negócios com cenário pessimista, assumindo queda drástica de receita, incluindo exercícios de volumetria, preço, alteração de custos, investimentos, rentabilidade e evolução de caixa, de forma que para cada cenário possível, possa se desenhar uma estratégia de negócios.
  • Considere também pouco ou nenhum acesso a recursos externos.
  • Faça stress test.

Indicadores-chave

  1. Fluxo de Caixa com Liquidez diária considerando o fluxo de recebíveis e fluxo de pagamentos;
  2. Margem de contribuição dos produtos vendidos. Faça avaliações de ações contínuas.

Foco no retorno

  • Corte todos os excessos das despesas administrativas. Reduza gastos de marketing e despesas de vendas uma vez que a demanda está reprimida.
  • Invista apenas em canais que possuem retorno imediato.

Reestruturação de dívida com fornecedores

  • Com o fluxo de caixa diário com projeção conservadora dos seus recebíveis, renegocie o fluxo de pagamentos de fornecedores.
  • Avalie quais pagamentos podem ser postergados ou ter datas de pagamentos alteradas para ter casamento com o seu fluxo de recebíveis.
  • Avalie todos os fornecedores quais podem ser cancelados ou ter o seu contrato revisto em relação a valores e/ou quantidade de serviços prestados.

Reestruturação de dívidas com os bancos

  • Faça uma projeção conservadora dos recebíveis para renegociar o fluxo de pagamento com os bancos.
  • Busque linhas de capital de giro, especialmente de bancos públicos que serão mais flexíveis no curto prazo.
  • Reveja a sua política de garantias.
  • Agora que vamos correr ainda mais riscos, procure os grandes bancos, esta é a hora que eles são mais fortes.

O que os CFOs das scale-ups estão dizendo

Não transforme uma crise de liquidez em uma crise de crédito

Vários bancos estão trabalhando com linhas de capital de giro com aumento de prazo de pagamento e carência. O BNDES tem uma linha de crédito específica para financiar capital de giro, mas exigem bens como garantia.

Dívida de curto prazo

Quem já possuir linhas de crédito pré aprovadas, a recomendação é tomar parte delas. A taxa SELIC pré-crise ainda é uma referência de bom negócio. Fale com os bancos que já possui relacionamento para verificar liberação de saldo de operação de “conta garantida”, além de negociar os limites para colocar aplicação financeira para garantias de operação.

Para quem tem cobrança recorrente vale conferir o A55, que usa como garantia a receita futura de contratos vigentes.

Aumento do custo da dívida

Bancos encareceram, em média, 30% a 40% o custo da dívida na última semana, e piorando a cada hora. Na última semana aumentou o custo e o % de garantias solicitadas.

Atraso na análise do crédito

O grande gargalo está nas áreas de análise de crédito dos bancos, dada a demanda. O problema tem sido o timing de aprovação.

Fechamento da operação de antecipação

Bancos estão fechando a operação de antecipação de recebíveis para empresas, bastante atenção quem trabalha ou depende de banco médio.

Negociação de faturas com os clientes

Opção de fornecer um prazo maior sem multa para as próximas três faturas- mas com atualização do CDI.

Opções de dívida de curto prazo disponíveis

A lista não é exaustiva, podendo haver outras opções disponíveis que não foram mapeadas.

BNDES

Standstill das operações diretas (para quem tem operações diretas com o BNDES):

  • Suspensão integral de juros e principal por 6 meses
  • Capitalização no saldo devedor
  • Manutenção do prazo total

Para acessar, entre em contato com o BNDES.

Standstill das operações indiretas (para quem tem operações do BNDES com outras instituições financeiras):

  • Suspensão integral de juros e principal por 6 meses
  • Capitalização no saldo devedor
  • Manutenção do prazo total

Para acessar, entre em contato com o banco onde sua empresa possui a operação de crédito.

Capital de giro para MPMEs:

  • Válido para empresas com faturamento até R$300 milhões
  • Carência de até 24 meses
  • Prazo total até 60 meses
  • Limite por cliente: R$70 milhões
  • Empresa não precisa especificar destinação dos recursos
  • Crédito será via agentes financeiros

Para acessar, entre em contato com o banco que sua empresa possui relacionamento.

Banco Itaú

  • Empresas que têm empréstimo contratado (capital de giro) e em dia, poderá solicitar o reparcelamento dos seus contratos, pagando sua próxima parcela em até 60 dias.
  • Capital de giro: Taxas a partir de 0,99% ao mês, com pagamento em até 60 meses, parcelas fixas e até 90 dias para pagar a primeira parcela
  • Antecipação de recebíveis: Taxas a partir de 0,80% ao mês., com prazo máximo aceito de um recebível de 360 dias

Veja como acessar

Caixa Econômica Federal

  • Redução de juros de até 45% no Capital de Giro, com taxas a partir de 0,57% a.m., para a sua empresa ficar em dia com o pagamento de funcionários, fornecedores e aluguel.
  • Pausa de até 60 dias no pagamento das parcelas do Capital de Giro e na renegociação dos contratos de crédito.
  • Linhas de crédito especiais, com até 6 meses de carência, para empresas que atuam nos setores de comércio e prestação de serviços.
  • Linhas de financiamento de máquinas e equipamentos com taxas reduzidas, 6 meses de carência e prazo de até 60 meses para pagar.

Veja como acessar

Santander

  • Capital de Giro (Parcelado, Final, Modular) ou CDC com prorrogação do pagamento da parcela por até 60 dias.
  • Antecipação de Recebíveis (duplicatas, cheques e cartões): Possibilita à empresa antecipar seu fluxo futuro de recebíveis.

Saiba mais aqui e fale com seu gerente

Desenvolve SP

  • Crédito para empresas de médio porte
  • Valor máximo: R$ 1.000.000,00
  • Juros: A partir de 1,20% ao mês
  • Prazo: 42 meses, incluindo carência de 9 meses
  • Garantias: compostas pelo FGI – Fundo Garantidor de Investimentos – Crédito Livre ou
  • FDA – Fundo de Aval do Estado de São Paulo e aval dos sócios proprietários

Veja como acessar

Bradesco

  • Capital de giro: Quanto maior o prazo, menor a taxa de juros (não informada).
  • Prazo de até 48 meses, com carência de até 60 dias.

Veja como acessar aqui

Banco do Nordeste

  • Crédito para capital de giro com até seis meses de carência.
  • Elevação de R$ 50 mil para R$ 100 mil o valor das contratações sem a obrigatoriedade de vinculação de garantias reais.

Veja como acessar

Banco do Brasil

  • Aumento de limite em linhas de capital de giro, investimento e de antecipação de recebíveis. Crédito é válido para todos os portes.
  • Agendamento dos pagamentos para até 180 dias.
  • Outras linhas de crédito voltadas para agronegócio, comercialização e investimento.

Veja como acessar


Texto originalmente publicado no blog da Endeavor Brasil, parceira da Campinas Tech.

Campinas Tech lança programa de mentoria avançada em Acesso a Capital

Com o intuito de ajudar empreendedores a conhecer os melhores processos de acesso a capital para sua startup, a Campinas Tech lança um programa de mentoria avançada que contará com empresários renomados do ecossistema empreendedor de Campinas.

Fruto do trabalho de organização e curadoria dos voluntários da área de Acesso a Capital, as mentorias vêm para dar suporte ao empreendedor que busca crescer através de funding, contando com toda a experiência dos mentores empreendedores para auxiliá-los durante a jornada. O programa será constituído de encontros mensais, no qual cada empreendedor contará com uma hora na companhia de um mentor, conhecendo não só os cases da empresa como também recebendo lições de como captar recursos durante cada processo.

Além de toda a experiência, os mentores ainda ajudarão a conectar as startups participantes a outras redes e como aproveitar essas novas conexões para alcançar melhores oportunidades na obtenção de financiamento e otimização dos recursos, ajudando a definir as prioridades de como esse dinheiro deverá ser gasto e assim potencializar as áreas internas do negócio.

O programa surgiu a partir da necessidade de auxiliar empreendedores que já estejam em estágio avançado, mas que ainda enfrentam alguns empecilhos para o seu crescimento. Com a imersão em conhecimentos que encurtam o caminho para o acesso a capital e a uma rede de contatos mais qualificada, espera-se que os participantes cresçam ao mesmo tempo que mantêm a empresa lucrativa, com uma boa gestão, retenção de bons talentos e o aperfeiçoamento da qualidade dos produtos.

Nessa primeira edição, o programa terá como mentores os empresários:

  • Carlos Cêra, fundador da Superlógica e da PJBank, onde atualmente é CEO;
  • César Gon, CEO da CI&T e investidor e membro do concelho de várias startups;
  • Daniel Gomes, cofundador e CEO da Nexoos;
  • Leandro Coletti, líder da área de Receitas da Rocket.chat e investidor na New Enterprises Associates;
  • Igor Santiago, fundador e CEO da I.Systems.

O período de inscrições para o programa vai de  20 de agosto a 20 de setembro, e devem ser feitas por este formulário. Os selecionados serão anunciados no início de setembro.