Empreendedorismo e inteligência emocional, uma parceria de sucesso

As constantes mudanças geradas pela globalização, pela era digital e pela indústria 4.0, têm contribuído muito para o surgimento de novas formas de negócios e de trabalho e, uma das carreiras que mais está em ascensão é a do Empreendedorismo com Propósito.

Foto por Johanna Buguet no Unsplash

Ser empreendedor vai muito além de criar novos produtos, serviços ou obter lucros. Ser um empreendedor é traçar sua rota e criar um trabalho que esteja alinhado ao estilo de vida que se deseja levar, aos seus valores, as suas habilidades, seus talentos e ao legado que se pretende deixar no mundo.

Um dos grandes diferenciais do empreendedorismo é que você pode antes de tudo, SER quem você realmente nasceu para SER, depois FAZER, e o TER será uma consequência. Para alguns poderá vir em forma de reconhecimento, para outros de sucesso, status, bens materiais ou o tão desejado equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Um bom empreendedor é um visionário, transforma problemas em oportunidades, se dedica 100% ao que se está fazendo, atua em rede, de forma colaborativa, sabe dar e receber feedbacks, inspira liderança, gera networking, ajusta rotas quando se faz necessário mudar a direção do planejamento ou da ideia inicialmente proposta. Ele também sabe lidar com os haters, tendo foco nas críticas construtivas por meio da escuta ativa.

Pode-se então dizer, que dentre as habilidades mais requisitadas para um empreendedor estão: a empatia, a resiliência, a criatividade, a inovação, a comunicação assertiva, o otimismo, o foco, a habilidade de orientação para o futuro e a tolerância a ambiguidade e incertezas. A maioria dessas habilidades estão relacionadas à inteligência emocional.

Segundo Daniel Goleman, a Inteligência Emocional é a combinação de 2 pilares:

  • Competências emocionais sociais: A capacidade de se conectar com o próximo e com a sociedade;
  • Competências emocionais pessoais: A capacidade de se conectar de forma harmônica e amorosa consigo mesmo.

Diante de todo exposto acima, fica evidente que o que pode impulsionar um empreendedor a ser bem sucedido ou a vir a fracassar, está relacionado à capacidade de saber gerenciar e lidar com as suas emoções.

Vale ressaltar, que para ser um Empreendedor de sucesso, além de conhecer as variadas formas de análise e gestão do negócio e do mercado, é crucial que goste muito do que faz e seja um conhecedor de si mesmo, que invista em aprendizagem constante e em autoconhecimento, pois desta forma se tem a clareza dos valores, dos pontos fortes e dos a serem aprimorados, das crenças fortalecedoras e limitantes, o que certamente contribui para que tudo fique muito mais leve e torne mais fácil de se aplicar a inteligência emocional.

As estatísticas demonstram que apenas 13% das pessoas fracassam por falta de QI e 87% por falta de QE (abreviação de Inteligência Emocional).

Enfim, no Empreendedorismo com Propósito, trabalho e prazer andam de mãos dadas, o que faz com que o Empreendedor seja um verdadeiro desbravador de rotas, um realizador de sonhos e um inovador no protagonismo da sua jornada, da sua própria história, deixando a sua marca e a sua contribuição para um mundo melhor.

E aí de 10 a 0, quanto você tem sido VOCÊ e não o que os outros ou a sociedade dizem ou querem que você seja?

Seja você em sua mais pura essência, invista naquilo que faz seus olhos brilharem e lute pelas causas que te fazem sentido. Viva sua melhor versão e bora desbravar novas rotas!

Um forte abraço!
Graciene Ceolin


Texto por:

Graciene Ceolin – Coach e Palestrante (Desbravando sua Rota) / Assistente Executiva (Deloitte).