Eventos & Covid-19: Como a área está se adequando

Foto por pressfoto no Freepik.

A pandemia causada pelo Covid-19 teve um impacto profundo na sociedade do século XXI como antes nunca visto, tanto na área da saúde quanto na área econômica. Consequentemente, temos notado o crescente aumento no número de eventos online.

De um mês pra cá houve uma repentina transformação no modelo de evento no geral. A teoria de VUCA – volatility (volatilidade); uncertainty (incerteza); complexity (complexidade); ambiguity (ambiguidade), nunca se mostrou tão aplicável e o preparo para tal mundo, vital para a crise que vivemos. O VUCA, aplicado no mundo dos negócios, mostra como o ambiente empresarial na atualidade também é agressivo, desafiador, competitivo e veloz, ou seja, esse também é o novo “normal” das organizações de qualquer natureza.

Abruptamente a área de eventos foi muito impactada. Os grandes eventos, de maneira que quase total, tiveram que ser adiados ou cancelados, como por exemplo os Jogos Olímpicos de Tóquio, SXSW, E3, entre outros. Já eventos de pequeno e médio porte garantem uma melhor adaptabilidade nesse cenário.

A fim de manter a qualidade de conteúdo, o preparo do material que irá ser disponibilizado tem que ser bem embasado e de forma rápida, para não perder o timing. Dessa maneira, a rápida adequação da área de eventos está sendo crucial para a progressão das atividades. O uso se varia em webinars, lives, e-books, treinamentos e até interações mais simples e diretas como stories do Instagram.

Entretanto, atente-se: as mídias sociais são os lugares mais estressantes do mundo no momento. Há atualizações a cada segundo sobre novos números, desde atualizações do governo, histórias, até cursos e entretenimento. É importante encontrar um diferencial, uma experiência no webinar, um palestrante que há tempos gostaria de chamar, mas por questões de agenda não coincidia.

Pensando nesse contexto, preparamos algumas dicas que podem ajudar na hora de idealizar e colocar em prática o seu evento:

Determine se o seu evento é adequado para o formato online

O período de quarentena veio para provar que a transmissão online pode servir para praticamente todo e qualquer evento! Você pode sair do clássico webinar, videoaulas e mentorias e arriscar adaptando o seu modelo.

No Instagram, por exemplo, artistas estão mobilizando a web através de pocketshows, aulas, festas e até treinos. Tudo sem sair de suas casas e acumulando milhares de views.

É claro que ações como essas tem um intuito muito maior de manter o engajamento nas redes sociais do que promover a experiência de um evento. Mas vale pensar fora da caixa (tem negócios promovendo happy hour virtual)!

Agora, se o seu evento é uma feira culinária, por exemplo, onde a experiência consiste totalmente no paladar do participante, talvez a única solução seja realmente o adiamento.

Defina qual será o público alvo do seu evento

Entender quem você deseja atingir, saber onde esse público está na web e como ele se comporta é essencial para garantir o sucesso do seu evento.

Não adianta nada fazer uma live de bate-papo no TikTok sobre investimentos se o público da plataforma é majoritariamente de adolescentes que, provavelmente, pouco se interessa por este tipo de conteúdo.

Para isso, é válido fazer um pesquisa sobre o perfil almejado e até mesmo conferir o que negócios semelhantes estão fazendo. O benchmarking nessa hora pode ser de grande valor.

Pesquise uma boa plataforma para entregar um ambiente de qualidade ao participante

Eventos online podem até parecer simples de ser realizados, mas uma série de requisitos mínimos são necessários.

Antes de mais nada, é necessário assegurar que todos os participantes envolvidos tenham uma boa conexão de internet, pois a instabilidade pode acabar, literalmente, com sua transmissão.

Dependendo do seu objetivo com o evento, há uma série de serviços na nuvem que podem te ajudar. Desde a realização de lives através do Instagram e Youtube, como plataformas exclusivas para esse fim, como o Eventials e o Zoom (este que tem ganhado bastante popularidade nas últimas semanas).

Agora, se a sua intenção é uma transmissão super profissional, com mudança de cenas, variadas telas, recursos visuais e afins, será necessário o uso de softwares específicos como o OBS Studio – além de muita pesquisa ou um profissional para lidar tecnicamente com a transmissão.

Promova a interação, com os recursos de bate-papo e perguntas e respostas

Eventos online têm uma concorrência desleal pela atenção do seu participante. Na internet são inúmeras as distrações que podem fazer com que esse espectador divida a atenção ou, pior, foque em outros conteúdos ao invés do seu evento caso não seja estimulado.

Por isso, provocar a interação é uma estratégia primordial para reter o público assistindo ao seu evento e fazê-lo de fato, ter a experiência que você quer passar. Estimule os espectadores a fazerem perguntas, crie enquetes, leia constantemente os comentários (isso faz com que o espectador se sinta notado) e estimule o compartilhamento do evento nas redes sociais.

Além disso, o número maior de views, curtidas e comentários no seu evento ajuda que ele alcance mais pessoas organicamente.

Faça sorteios para os participantes!

Essa é uma das melhores formas de conseguir aderência e engajamento ao seu evento. Negócios podem aproveitar a ocasião e sortear o seu produto – seja ele material ou um serviço. Pense em uma marca de cosméticos: ela pode sortear um batom recém-lançado ou um curso para maquiagem, por exemplo. Caso não tenha um produto, é hora de ativar seu relacionamento e buscar parcerias, podendo sortear produtos e serviços de parceiros.

Além disso, pode ser interessante a ativação e presença da sua marca, sorteando brindes com seu logo (camisetas, adesivos, canecas, ecobags e por aí vai).

E aí, convencido que o isolamento social – muito necessário, aliás – não é desculpa para adiar seu calendário de eventos? Confira o que nosso ecossistema está promovendo agora mesmo e inspire-se!


Redação por:
Caio, da Campinas Tech

Apoio e Revisão:
Felipe e Maíra, da Campinas Tech

Acesso a Capital para scale-ups: os efeitos do Covid-19

Foto por Freepik.

Nesse material, compilamos aprendizados e insights de mentores da rede da Endeavor sobre como gerenciar seu caixa nesse momento de crise e quais são as alternativas de acesso à crédito disponíveis nos bancos.

Papel do CEO

  • Envolva as lideranças e comunique o cenário, a necessidade de ações, quais ações serão tomadas e qual o período para novas avaliações e decisões.
  • Identifique 4 ou 5 grandes projetos que serão desdobrados em planos de ação com acompanhamento da diretoria e gerência semanalmente.
  • Deixe cada diretor como dono de 1 projeto, controlando recursos (orçamento) e prazos dos mesmos.
  • Envolva todos nas solução do problema e com otimismo que o desafio será vencido com a participação de todos.

Criação de Cenários

  • Faça um plano de negócios com cenário pessimista, assumindo queda drástica de receita, incluindo exercícios de volumetria, preço, alteração de custos, investimentos, rentabilidade e evolução de caixa, de forma que para cada cenário possível, possa se desenhar uma estratégia de negócios.
  • Considere também pouco ou nenhum acesso a recursos externos.
  • Faça stress test.

Indicadores-chave

  1. Fluxo de Caixa com Liquidez diária considerando o fluxo de recebíveis e fluxo de pagamentos;
  2. Margem de contribuição dos produtos vendidos. Faça avaliações de ações contínuas.

Foco no retorno

  • Corte todos os excessos das despesas administrativas. Reduza gastos de marketing e despesas de vendas uma vez que a demanda está reprimida.
  • Invista apenas em canais que possuem retorno imediato.

Reestruturação de dívida com fornecedores

  • Com o fluxo de caixa diário com projeção conservadora dos seus recebíveis, renegocie o fluxo de pagamentos de fornecedores.
  • Avalie quais pagamentos podem ser postergados ou ter datas de pagamentos alteradas para ter casamento com o seu fluxo de recebíveis.
  • Avalie todos os fornecedores quais podem ser cancelados ou ter o seu contrato revisto em relação a valores e/ou quantidade de serviços prestados.

Reestruturação de dívidas com os bancos

  • Faça uma projeção conservadora dos recebíveis para renegociar o fluxo de pagamento com os bancos.
  • Busque linhas de capital de giro, especialmente de bancos públicos que serão mais flexíveis no curto prazo.
  • Reveja a sua política de garantias.
  • Agora que vamos correr ainda mais riscos, procure os grandes bancos, esta é a hora que eles são mais fortes.

O que os CFOs das scale-ups estão dizendo

Não transforme uma crise de liquidez em uma crise de crédito

Vários bancos estão trabalhando com linhas de capital de giro com aumento de prazo de pagamento e carência. O BNDES tem uma linha de crédito específica para financiar capital de giro, mas exigem bens como garantia.

Dívida de curto prazo

Quem já possuir linhas de crédito pré aprovadas, a recomendação é tomar parte delas. A taxa SELIC pré-crise ainda é uma referência de bom negócio. Fale com os bancos que já possui relacionamento para verificar liberação de saldo de operação de “conta garantida”, além de negociar os limites para colocar aplicação financeira para garantias de operação.

Para quem tem cobrança recorrente vale conferir o A55, que usa como garantia a receita futura de contratos vigentes.

Aumento do custo da dívida

Bancos encareceram, em média, 30% a 40% o custo da dívida na última semana, e piorando a cada hora. Na última semana aumentou o custo e o % de garantias solicitadas.

Atraso na análise do crédito

O grande gargalo está nas áreas de análise de crédito dos bancos, dada a demanda. O problema tem sido o timing de aprovação.

Fechamento da operação de antecipação

Bancos estão fechando a operação de antecipação de recebíveis para empresas, bastante atenção quem trabalha ou depende de banco médio.

Negociação de faturas com os clientes

Opção de fornecer um prazo maior sem multa para as próximas três faturas- mas com atualização do CDI.

Opções de dívida de curto prazo disponíveis

A lista não é exaustiva, podendo haver outras opções disponíveis que não foram mapeadas.

BNDES

Standstill das operações diretas (para quem tem operações diretas com o BNDES):

  • Suspensão integral de juros e principal por 6 meses
  • Capitalização no saldo devedor
  • Manutenção do prazo total

Para acessar, entre em contato com o BNDES.

Standstill das operações indiretas (para quem tem operações do BNDES com outras instituições financeiras):

  • Suspensão integral de juros e principal por 6 meses
  • Capitalização no saldo devedor
  • Manutenção do prazo total

Para acessar, entre em contato com o banco onde sua empresa possui a operação de crédito.

Capital de giro para MPMEs:

  • Válido para empresas com faturamento até R$300 milhões
  • Carência de até 24 meses
  • Prazo total até 60 meses
  • Limite por cliente: R$70 milhões
  • Empresa não precisa especificar destinação dos recursos
  • Crédito será via agentes financeiros

Para acessar, entre em contato com o banco que sua empresa possui relacionamento.

Banco Itaú

  • Empresas que têm empréstimo contratado (capital de giro) e em dia, poderá solicitar o reparcelamento dos seus contratos, pagando sua próxima parcela em até 60 dias.
  • Capital de giro: Taxas a partir de 0,99% ao mês, com pagamento em até 60 meses, parcelas fixas e até 90 dias para pagar a primeira parcela
  • Antecipação de recebíveis: Taxas a partir de 0,80% ao mês., com prazo máximo aceito de um recebível de 360 dias

Veja como acessar

Caixa Econômica Federal

  • Redução de juros de até 45% no Capital de Giro, com taxas a partir de 0,57% a.m., para a sua empresa ficar em dia com o pagamento de funcionários, fornecedores e aluguel.
  • Pausa de até 60 dias no pagamento das parcelas do Capital de Giro e na renegociação dos contratos de crédito.
  • Linhas de crédito especiais, com até 6 meses de carência, para empresas que atuam nos setores de comércio e prestação de serviços.
  • Linhas de financiamento de máquinas e equipamentos com taxas reduzidas, 6 meses de carência e prazo de até 60 meses para pagar.

Veja como acessar

Santander

  • Capital de Giro (Parcelado, Final, Modular) ou CDC com prorrogação do pagamento da parcela por até 60 dias.
  • Antecipação de Recebíveis (duplicatas, cheques e cartões): Possibilita à empresa antecipar seu fluxo futuro de recebíveis.

Saiba mais aqui e fale com seu gerente

Desenvolve SP

  • Crédito para empresas de médio porte
  • Valor máximo: R$ 1.000.000,00
  • Juros: A partir de 1,20% ao mês
  • Prazo: 42 meses, incluindo carência de 9 meses
  • Garantias: compostas pelo FGI – Fundo Garantidor de Investimentos – Crédito Livre ou
  • FDA – Fundo de Aval do Estado de São Paulo e aval dos sócios proprietários

Veja como acessar

Bradesco

  • Capital de giro: Quanto maior o prazo, menor a taxa de juros (não informada).
  • Prazo de até 48 meses, com carência de até 60 dias.

Veja como acessar aqui

Banco do Nordeste

  • Crédito para capital de giro com até seis meses de carência.
  • Elevação de R$ 50 mil para R$ 100 mil o valor das contratações sem a obrigatoriedade de vinculação de garantias reais.

Veja como acessar

Banco do Brasil

  • Aumento de limite em linhas de capital de giro, investimento e de antecipação de recebíveis. Crédito é válido para todos os portes.
  • Agendamento dos pagamentos para até 180 dias.
  • Outras linhas de crédito voltadas para agronegócio, comercialização e investimento.

Veja como acessar


Texto originalmente publicado no blog da Endeavor Brasil, parceira da Campinas Tech.