Vale da Eletrônica: breve relato sobre o procedimento de visitação técnica

Comitiva Campinas Tech e IRG na usina fotovoltaica, em Santa Rita do Sapucaí (SRS) | Foto: Campinas Tech/Divulgação.

 

No dia 14 de maio, houve a participação na comitiva organizada pela Campinas Tech para a visita técnica em Santa Rita do Sapucaí (SRS), com o objetivo de construir um projeto de feira de startups dentro do Hacktown , evento anual que acontecerá em setembro de 2019 e que tem como previsão receber de 6 a 7 mil pessoas em 2019.

A programação da visita iniciou com um café da manhã oferecido no Centro de Empreendedorismo e Inovação do Instituto Nacional de Telecomunicações (INATEL). Junto com a turma de Campinas, também participaram pessoas de São José dos Campos, ligadas ao Instituto Regeneração Global (IRG).O grupo foi recebido pelo Prefeito, Secretário de Cultura, professores do Instituto e organizadores do Hacktown.

O anfitrião Marcos David, após dar as boas-vindas, fez uma rápida introdução e logo em seguida, o Prefeito Wander W. Chaves, professor do INATEL, fez uma apresentação sobre a cidade e as principais políticas públicas que a levaram ao atual patamar de cidade criativa, tendo o Hacktown como um dos principais casos de sucesso.

Desta forma, Wander W. Chaves apresentou um pouco da história da cidade, que, a partir de seu passado cafeeiro, tornou-se o Vale da Eletrônica. O início dessa narrativa ocorreu na década de 1950, quando a visionária Sinhá Moreira, após ter viajado por diversos países e ter assistido uma palestra de Albert Einstein, decidiu investir sua fortuna e inaugurou a primeira escola técnica de eletrônica do Brasil, sendo esta a sexta do mundo na época. A partir dessa iniciativa, o governo federal construiu o INATEL na década de 1960, levando ao município o primeiro curso de Engenharia de Telecomunicações do Brasil. Em seguida, houve investimento municipal em uma faculdade com o curso de gestão voltada para micro e pequenas empresas de base tecnológica. Com essa formação, criou-se o “Vale da Eletrônica”, uma política pública para fomento do empreendedorismo em empresas e indústrias eletrônicas.

No momento seguinte, a cidade criou um arranjo produtivo local (APL), estimulando a cadeia produtiva do Vale da Eletrônica. Este arranjo adquiriu o destaque de uma das mais significativas experiências de APL do Estado de Minas Gerais. Há cerca de 7 anos, foi criado o programa Cidade Criativa, Cidade Feliz, uma espécie de incubadora para fomentar a economia criativa no município, uma política da criação e da invenção. Entre os objetivos do programa, estavam o crescimento das potencialidades da cidade, a mistura de culturas para gerar uma nova cultura mais dinâmica e contemporânea e a promoção da colaboração e da cooperação entre empresas, voluntários e poder público, sendo que a Prefeitura faz parte dos elos, porém, não se coloca como “dona do programa”.

O programa Cidade Criativa, Cidade Feliz, incentivou a criação de diversos outros projetos, sempre com a política da criação e da invenção, por meio da mistura entre cultura e tecnologia, tendo 4 eixos principais: tecnologia, empreendedorismo, cultura e ética e cidadania. Questões ligadas à autoestima e autoconfiança foram trabalhadas com a população em busca de outras formas de geração de riqueza e desenvolvimento local, para além da economia cafeeira e das indústrias.

Na sequência da apresentação do Prefeito, foi a vez do professor Antonio M. Alberti apresentar o projeto NovaGênesis sobre a internet do futuro e a economia das coisas e dos dados, trazendo conceitos e estudos que são feitos no INATEL. Após o almoço, o grupo conheceu a Escola Técnica de Eletrônica (ETE FMC), fundada por Sinhá Moreira e que hoje é administrada pelos jesuítas. Quem os recepcionou foi Eduardo Abranches, coordenador dos cursos técnicos, que apresentou a escola, passando pelo local onde será o evento da feira que será promovida em conjunto pela Campinas Tech e pela IRG, e seguindo para a usina fotovoltaica. O professor falou sobre as diversas feiras que acontecem ali há muitos anos, com destaque para a Projete, que neste ano ocorrerá em sua 39ª edição.

Comitiva Campinas Tech durante visita a ETE, em Santa Rita do Sapucaí | Foto: Campinas Tech/Divulgação.

Depois de percorrer grande parte dos prédios das escolas, houve uma reunião com mais apresentações e com mediação feita pelo Marcos David. Raul Cardoso, presidente do Campinas Tech, apresentou a organização e Fabiano de Paula Porto, presidente da IRG, também fez sua apresentação e falou sobre os 8 pilares de atuação da instituição: energia, água, alimentação, transporte, moradia, medicina, consciência e sistema.

Comitiva Campinas Tech em Santa Rita do Sapucaí (SRS) | Foto: Campinas Tech/Divulgação.

A feira de startups será realizada em uma parceria entre as duas entidades, sendo que caberá ao Campinas Tech a organização do evento e ao IRG a curadoria, dentro dos seus 8 eixos de atuação. A partir disso, serão criados grupos de trabalho colaborativos, para planejamento e divulgação. Os próximos passos serão anunciados em breve.

Atualização:
Saiba mais sobre a feira de startups do Hack Town que tem o apoio da Campinas Tech, a <Hello World/> Trade Show

Não deixe de inscrever a sua startup, é só clicar AQUI?


Texto por:
Maria Cecília Pires de Campos | Pâmela Santos (Edição).


Quer fazer parte dessa jornada no Hacktown conosco? Veja como em nossa campanha de patrocínio.

Campinas terá formação em linguagem de programação gratuita para mulheres

A capacitação visa empoderar e aproximar mulheres do mercado de tecnologia

Campinas terá, pela primeira vez, uma formação gratuita em Ruby on Rails exclusiva para mulheres. A capacitação acontecerá nos dias 20 e 27 de abril e é destinada à mulheres que desejam aprender a linguagem Ruby e o framework Rails – utilizados pelas maiores empresas de tecnologia do Brasil. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas pelo Sympla até o dia 27 de março. A formação está sendo organizada pela empresa Caiena – Tecnologia e Design.

O projeto emergiu com a chegada da celebração do Dia Internacional da Mulher, no intuito de articular a formação à história por trás da data comemorativa e criar um caminho para apoiar mulheres na ocupação de postos de trabalho em empresas de tecnologia, uma vez que a baixa representatividade do público feminino na área começa já na universidade. Na Unicamp, por exemplo, o curso de Engenharia da Computação irá iniciar o ano letivo de 2019 com a matrícula de 81 homens e apenas 10 mulheres, segundo dados da COMVEST.

A baixa representatividade na universidade se reflete no mercado de trabalho. Por essa razão, a formação se tornou pauta do programa de diversidade da empresa, como uma iniciativa prática para empoderar mulheres e incluí-las no meio. O propósito é aumentar o time de desenvolvimento da própria organização, como explica João Paulo Gotardo, coordenador da Área de Pessoas da Caiena.

“Estamos no meio de uma grande transformação no mundo dos negócios e da tecnologia e a inclusão de gênero é uma janela de oportunidades. É importante reforçar que a diversidade de profissionais é determinante para o crescimento de qualquer empresa”, aponta Gotardo.

Tornar o mercado da tecnologia mais equilibrado também é desejo da Lidiane Taquehara, uma das profissionais que ministrará a capacitação.

“Hoje eu sou desenvolvedora, amo minha profissão, e entendo que se estou aqui hoje é porque eu tive muitas oportunidades, é porque eu sou privilegiada. Então, se tiver algo que eu possa fazer para contribuir para a solução desse problema, acho que é minha responsabilidade também.”

Ela é especialista em Ruby on Rails e atua como desenvolvedora de software na Love Mondays Brasil. Além dela, Denis Tierno também ministrará o curso. Ele é desenvolvedor backend há 12 anos e especialista em Ruby on Rails. Atualmente, trabalha como desenvolvedor full stack na Caiena.

O edital para participação no evento já está disponível na página de inscrições no portal Sympla. Nela, são listadas as informações e etapas de seleção do curso, incluindo os pré-requisitos necessários para a sua realização. As mulheres interessadas podem acessar o edital e fazer sua inscrição até o dia 27 de março. O anúncio das selecionadas e o contato para confirmação de presença acontecerá no dia 08 de abril. A capacitação em Ruby on Rails é de grande relevância para profissionais de tecnologia, pois está em ascensão no mercado. Grandes empresas do setor, como Nubank, Globo, Vindi e Resultados Digitais, utilizam a linguagem e o framework e desenvolvedores geralmente precisam realizar um curso paralelo para aprender a técnica, que ainda não faz parte da maioria das grades de graduação.


Mais informações:
Giuliana Wolf | (19) 992198610 | (19) 3778-5560 | giuliana.wolf@caiena.net
Rebeca Bissoli | (19) 98821-2406 | (19) 3778-5560 | rebeca.bissoli@caiena.net

Datas e horários do curso:
20/04 (sábado), das 9h às 12h e das 13h30 às 17h30
27/04 (sábado), das 9h às 12h e das 13h30 às 17h30

Local:
Caiena – Tecnologia e Design. Avenida Antonio Artioli, 570, Swiss Park Office, Edifício Andermatt, Sala 08.

Campinas recebe evento sobre como aumentar as vendas para negócios de empreendedoras

Você vende um produto, serviço ou ideia? Aprenda a construir um argumento eficaz para vender mais facilmente. A IAprendi – Empreendedorismo Feminino organiza o evento que trás perspectivas de interesse e convertê-los em clientes com simples comunicação não verbal e a interpretação.

Onde ir para encontrar muitos leads qualificados e entusiasmados que querem comprar de você ? Veja como compartilhar maneiras eficazes de aumentar as vendas e expandir os lucros através de segredos para entender a pessoa á sua frente.

Um grande aumento nos clientes é o que lhe espera. Dicas e estratégias especiais para ajudar as mulheres a ter sucesso nos negócios e na carreira.

Reserve seu lugar AGORA clicando aqui.


Texto de divulgação por IAprendi – Empreendedorismo Feminino

“Empreendedorismo Feminino” – Founder Institute Campinas realiza evento que debate a temática e protagonismo das mulheres nos negócios

O Founder Institute Campinas realizará uma mesa-redonda dedicada ao tema “Empreendedorismo Feminino“, no dia 17 de janeiro, quinta-feira, às 18h30, na Facamp.

A mesa-redonda será conduzida por quatro mulheres de diferentes segmentos. São elas: Juliana Ewers, da C6 Bank, Sandra Nalli, da Escola do Mecânico, Tábata Boccatto, da TGB Comunicação, e Thaíssa Candella, do aplicativo Ifood.

Considerando que Campinas é repleta de mulheres empreendedoras, esse evento tem como objetivo reunir essas empresárias e mulheres apaixonadas por negócios para compartilhar os seus propósitos, suas histórias, desafios, sucessos, dicas e responder perguntas sobre empreendedorismo, criando uma rica troca de experiências.

O evento é gratuito e as inscrições podem ser realizadas em:  bit.ly/fifemale1701

 


Quer conhecer mais eventos assim em Campinas? Não deixe de acompanhar a agenda do nosso portal Aqui é o Lugar!