Fintechs lideram ranking de ética da Virtuous Company

Fintechs lideram ranking de ética da Virtuous Company | Foto por nikitabuida no Freepik.

A ética dentro das empresas é algo a ser levado a sério. Pode parecer básico, mas, por incrível que pareça, nem todas as empresas podem ser consideradas como os lugares mais éticos a se trabalhar.

A ética corporativa não se reflete só na prestação do serviços de qualidade ao cliente e na regularidade da situação da empresa perante as leis. Antes, ela é importante no ambiente interno, ou seja, na cultura vivenciada pelos funcionários da organização.

Assim, a consultoria Virtuous Company parou para analisar o que os funcionários dizem sobre as empresas onde trabalharam, por meio das avaliações opinativas na plataforma Glassdoor.

A pesquisa, denominada Ranking Virtuous Company de Cultura Ética® 2020, considerou 376 mil avaliações de colaboradores sobre 1.871 organizações brasileiras, de 2015 a 2019 na referida plataforma. Diversos setores entraram nesse bolo, entre eles, empresas de varejo, TI, saúde, serviços financeiros e outros, totalizando 17 segmentos.

A partir daí, as empresas receberam pontuações com base em 5 aspectos positivos e 5 negativos de sua cultura ética, sendo os positivos: confiança organizacional, liderança ética, orientação para o bem comum, empatia e liberdade para falar; contra os negativos: injustiça organizacional, liderança abusiva, orientação egoísta, falta de consciência e medo de retaliação.

No ranking de ética relativo ao setor de serviços financeiros – que inclui todos os bancos, corretoras, credenciadoras, seguradoras e as principais fintechs do país, totalizando 111 instituições -, as 5 primeiras posições foram exclusivamente ocupadas pelas fintechs:

  • Vindi – Plataforma B2B de pagamentos
  • Koin – Plataforma de boletos
  • Creditas – Plataforma de crédito online
  • Foxbit – Compra e venda de bitcoin
  • Nubank – Banco Digital

Você pode conferir o ranking de ética completo do setor financeiro aqui. Os relatórios dos demais segmentos estão sendo divulgados aos poucos pela Virtuous Company.

A Vindi, primeira colocada do ranking, é uma fintech de pagamentos recorrentes que atende 6 mil clientes e processou R$ 2,5 bilhões em vendas apenas no último ano. O CEO da companhia, Rodrigo Dantas, declarou que o resultado veio naturalmente, pois, na Vindi, se promove uma liderança transparente, somada à contratação de funcionários que tenham alinhamento aos valores construídos ao longo dos 7 anos de existência da empresa.

No geral, como as fintechs promovem a desburocratização dos serviços para seus clientes, faz todo sentido que essa cultura venha de dentro para fora. Ou seja, comece com um ambiente de empatia, liberdade de expressão, liderança próxima e, assim, maior motivação para as cabeças revolucionarem o mercado financeiro Brasil afora.

Conheça mais sobre a Vindi: acesse o site e redes sociais!


Redação por:
Daniela Leite, redatora da Vindi.

Fintechs: o que são, exemplos e como elas podem ajudar sua PME

Fintechs: o que são, exemplos e como elas podem ajudar sua PME | Foto por jcomp no Freepik.

Você sabia que as fintechs, empresas de tecnologia voltadas para o mercado financeiro, estão se tornando as preferidas das PMEs? Elas vêm despontando como algumas das principais soluções financeiras do mercado, atendendo a diversas frentes, principalmente no setor de pagamentos.

Uma pesquisa recente da Capterra revelou que as pequenas e médias empresas (PMEs) brasileiras, que adotam fintechs em sua gestão, têm mais confiança nos serviços financeiros prestados do que aquelas que continuam usando apenas os serviços de corporações tradicionais.

Para o levantamento, o Capterra ouviu 349 gerentes responsáveis pelas áreas financeira e de contabilidade ou envolvidos diretamente na tarefa nas empresas em que trabalham.

Segundo o estudo, 71% das PMEs que utilizam fintechs têm um nível de confiança alto (55%) ou muito alto (16%) nos serviços contratados; já entre as empresas que usam instituições financeiras tradicionais, como bancos, esse índice cai para 28% e 4%, respectivamente.

O nível de satisfação dos clientes também é maior entre aqueles que adotam fintechs: 57% dizem estar satisfeitos com os serviços contratados, em relação a 14% satisfeitos com o sistema tradicional.

Mas afinal, por que as fintechs caíram no gosto das pessoas e das empresas e despontam como as melhores soluções financeiras do presente? E qual a sua definição? Vamos explicar a seguir. Boa leitura!

O que são fintechs?

As fintechs são empresas de inovação no ramo financeiro, que surgiram fora do sistema tradicional, para gerar soluções mais desburocratizadas e acessíveis quando se trata de finanças. Muitas delas nasceram como startups, e depois se consolidaram no mercado.

O termo “fin-tech” vem do inglês e quer dizer “tecnologia financeira”, o que já denota sua essência: são soluções geradas pela tecnologia para a área financeira de pessoas e negócios.

Os mais conhecidos são os bancos digitais. Mas, por “área financeira”, podemos entender diversas aplicações além de contas bancárias: controle de finanças pessoais ou empresariais, cartões, pagamentos, seguros (insurtechs), investimentos, empréstimos, crowdfunding e muitas outras categorias.

Existem hoje, no Brasil, mais de 742 fintechs, divididas em 14 setores, segundo dados do Distrito Fintech Report, realizado pela empresa Distrito. Houve um crescimento de 34,1% na comparação com primeiro estudo realizado pela empresa, no ano passado.

Os setores de fintechs que estão em maior crescimento no país são as de meios de pagamento, crédito e backoffice (softwares para gerenciamento financeiro de empresas).

Mas afinal, por que as fintechs são tão queridas?

Elas nasceram com o propósito de simplificar. Tradicionalmente, no cenário brasileiro, muitas pessoas e empreendedores podem ter dificuldade em entender as letras miúdas de contratos com bancos, gerando diversas dúvidas e inseguranças, como:

  • Quais são as reais taxas que vão pagar por um crédito;
  • Como investir melhor;
  • Qual o melhor seguro que podem contratar;
  • Qual tipo de conta devem abrir, etc.

As fintechs nasceram a partir de dores como essas, buscando trazer soluções mais intuitivas e descomplicadas para seu público, atuando alternativamente ao eixo: bancos, seguradoras e corretoras.

Uma das principais características das fintechs é sua operação 100% digital: geralmente não existe uma agência ou um local presencial de atendimento aberto ao público. Elas atuam por meio de seus aplicativos e/ou plataformas próprias, onde são operados os serviços e resolvidas todas as necessidades a que se propõem. Assim, reduzem muito seus custos operacionais.

Por oferecer toda essa praticidade, somada a menores custos e atendimento mais personalizado, as fintechs caíram no gosto das pessoas e empresas, e vieram para ficar.

Principais fintechs brasileiras

Como vimos, existem diversas categorias de fintechs, e algumas das mais conhecidas são as que podem ser usadas por pessoas físicas, como Nubank, PagSeguro, Neon, C6 Bank, PicPay.

Porém, mais de 55% das fintechs são B2B, ou seja, voltadas para outros negócios, principalmente PMEs, em todo o país. Conheça algumas delas:

Vindi

Há 7 anos no mercado, a Vindi é uma plataforma de pagamentos voltada a atender, principalmente, empresas com modelo de receita recorrente, que necessitam de eficiência operacional e escalabilidade.

Ela oferece uma estrutura completa de cobrança, para as empresas receberem de seus clientes de forma automatizada, segura e diversificada.

Além de poder realizar cobranças avulsas e variáveis, a plataforma permite automatizar um ciclo de cobranças para assinaturas, planos e mensalidades, e opera com diversas formas de pagamentos, desde cartões, boletos, até o link de pagamento.

Tudo para facilitar a vida financeira dos negócios e fornecer total controle de recebíveis e clientes, fomentando o crescimento sustentável das empresas.

Contabilizei

A fintech Contabilizei é focada em pequenas e micro empresas e busca democratizar a contabilidade, sendo uma plataforma voltada à abertura de empresas e ajuda com toda a parte burocrática do processo.

Funciona, basicamente, como um escritório de contabilidade online, que pode ser contratada mensalmente para ajudar em todo o processo contábil das empresas: notas fiscais, guias de impostos e relatórios contábeis como balanço, DRE e outros.

Vale a pena contar com esse tipo de serviço para manter as obrigações do negócio em dia.

Konkero

A Konkero é um guia de serviços voltado a ajudar as pessoas e negócios a encontrarem as melhores soluções de empréstimos, consórcios, seguros e muito mais.

Voltada a informar e ajudar na educação e consciência financeira, o site pode ser usado gratuitamente pelo público.

Creditas

A Creditas é uma fintech de empréstimos, com taxas de juros mais baixas e mais facilidade. Todo o empréstimo é feito online, desde a solicitação até o recebimento, o que possibilita menores custos operacionais repassados ao cliente. Pode ser uma opção para pequenas empresas que estão começando e só precisam de um pequeno capital de giro.

TuTu Digital

Para empréstimos específicos para empresas, a TuTu Digital é uma fintech especializada para micro e pequenas empresas. O empréstimo é financiado por investidores, através do sistema peer-to-peer lending, que conecta as duas pontas, dando oportunidade de grandes negócios acontecerem.

Há algumas outras fintechs nessa categoria de empréstimo peer-to-peer, como:

  • Biva;
  • IOUU;
  • Mutual;
  • Meempresta;
  • Kavod Lending.

Quer saber todas as novidades do universo financeiro das empresas? Assine a newsletter da Vindi e receba conteúdos fresquinhos no seu e-mail!


Redação por:
Daniela Leite, redatora da Vindi.