Como as empresas estão se adaptando ao novo cenário de consumo? Dicas e exemplos!

Como as empresas estão se adaptando ao novo cenário de consumo? Dicas e exemplos! | Foto de cottonbro no Pexels.

No cenário da pandemia, muita coisa mudou: a forma de vender e comprar é uma delas. Se o mundo já mirava na transformação digital antes da pandemia sequer existir, ela foi o “pontapé” para que as empresas se vissem obrigadas a se reinventar se não quisessem fechar as portas.

No post de hoje, vamos mostrar estratégias e trazer exemplos de como grandes nomes do varejo estão se reinventando, para te mostrar que é possível driblar a crise financeira e, de quebra, se tornar uma empresa melhor.

Vamos lá?

Reinventando seu negócio

Negócios que dependiam da presença física do consumidor, ou que simplesmente estavam acomodados em seus pontos de venda, como restaurantes e lojas de roupas, criaram novas formas de atender e existir como negócio.

É o que ocorreu no IFood. Com a demanda crescente de delivery de comida, o número de restaurantes cadastrados no catálogo subiu 60%. Esse aumento trouxe maior diversificação nos pratos oferecidos, além dos tradicionais. O IFood atraiu até mesmo churrascarias e mais culinária vegana. Isso para atender os seus milhões de clientes cada vez mais exigentes, que agora estão longe dos self services.

Já a Malwee é uma marca de roupas que se tornou exemplo de como o setor de vestuário, um dos mais afetados pela crise, se adaptou para não deixar pessoas desempregadas. Uma solução para amparar as costureiras da marca foi apoiá-las com material para produção de máscaras para fonte de renda extra, o que deu certo e rendeu à marca um bom posicionamento durante a crise.

Diversificando o portfólio

Outra forma de negócios não ficarem para trás foi mudar o escopo de serviços oferecidos, quando o isolamento impediu os serviços presenciais.

O GetNinjas, por exemplo, é um app que facilita a contratação de profissionais como pintores e pedreiros. Porém, durante a pandemia, muitas obras e reformas foram postergadas pelo distanciamento social e, assim, a empresa viu sua demanda cair drasticamente.

Para não ficar no vermelho, a GetNinjas mudou seu portfólio de profissionais: incluiu aqueles que podem atender à distância, e cuja área de atuação foi valorizada na quarentena. São instrutores de yoga, professores de habilidades manuais e outros que atendem, agora online, os mais de 600.000 novos clientes do app.

Criando uma estratégia digital

Se uma loja está fora do meio digital, provavelmente sofreu nestes tempos. As pessoas foram, inicialmente, forçadas pela quarentena a comprar pela internet, mas parecem ter gostado do formato. Uma pesquisa da Capterra revelou que 53% dos entrevistados afirmam que mudaram definitivamente seus hábitos de consumo e farão mais compras em lojas online a partir de agora.

Então, mesmo num cenário pós-pandêmico, podemos esperar que o ritmo de compras online continue alto. Por isso, vale a pena investir na estratégia digital, mapeando as redes sociais de sucesso, fazendo lives ou o que fizer sentido para captar clientes pela internet.

Pequenas lojas aderiram aos marketplaces para ganhar mais visibilidade e grandes marcas revisitaram sua presença digital. É o caso da BMW, por exemplo, que tinha um marketing mais tradicional, mas, de uns tempos para cá, aderiu ao TikTok, com vídeos feitos por influenciadores digitais, dialogando com um público mais jovem. A participação de mercado da montadora cresceu em 2020, segundo a empresa.

Integrando lojas físicas e digitais

Outra forma de se alinhar à tendência de consumo online é ser omnichannel. O que é isso? Significa ter canais de vendas online e físicos integrados. Esse modelo traz vantagens para a retirada de produtos e para mais oportunidades de venda.

O Walmart, por exemplo, maior rede varejista do mundo, tem milhares de lojas físicas no EUA. Porém, na pandemia, viu no digital a oportunidade de avançar. O cliente do Walmart pode comprar online (app ou site) e retirar no PDV ou receber por delivery. Com a estratégia, as vendas da companhia estão estimadas na casa dos bilhões de dólares.

A C&A é outra gigante que viu nesse modelo “compre e retire” a oportunidade de acelerar suas entregas. Inicialmente, com os shoppings fechados, os clientes retiravam numa espécie de drive-thru. Fora isso, as próprias lojas também se tornaram centros de distribuição do delivery, permitindo uma logística mais otimizada. As vendas digitais da varejista aumentaram 400%, segundo a Exame, e a empresa pretende perpetuar o modelo mesmo após a pandemia.

Fidelizando clientes

Se realizar uma venda ficou mais difícil com a pandemia, tanto por causa do fechamento dos espaços quanto pela recessão econômica, quem consegue fidelizar clientes se torna rei.

Isso porque a fidelização promove um tipo de venda que é recorrente, ou seja, o cliente sempre volta a comprar com a marca, o que gera aumento de receita mensal para as empresas.

Para isso, existem diversas estratégias, como programas de recompensas, cashback e o modelo de assinaturas.

Aqui, gostaríamos de frisar o modelo de assinaturas como o protagonista da resiliência durante a crise. Pesquisas mostram que setores que operam com esse modelo foram menos afetados pelo período difícil.

Isso porque os produtos ou bens por assinatura oferecem dois fatores de sucesso: comodidade da entrega e cobrança automática.

É o caso, por exemplo, da startup Housi, que oferece apartamentos por assinatura (mudando todo o sistema tradicional de aluguel). Antes a empresa focava mais em locações de curtos períodos, mas, durante a pandemia, focou em aumentar as vantagens para contratos maiores, como descontos e serviços extras.

Veja também: 11 modelos de negócio que podem aproveitar a recorrência

Como funciona a cobrança por assinatura?

O cliente escolhe o meio de pagamento e informa seus dados. A partir daí, uma plataforma, como a Vindi, automatiza as cobranças no período estipulado, por exemplo, todo início de mês. Dessa forma, o cliente não precisa se lembrar do pagamento: tudo é operado diretamente com seu cartão de crédito.

Isso diminui a inadimplência e gera maior tempo de relacionamento e consumo do cliente com a marca. Ou seja, mais caixa para seu negócio!

Ampliando meios de pagamento online

Oferecer flexibilidade nos meios de pagamento sempre foi importante, porém, isso se tornou especialmente impactante no novo cenário.

A Leroy Merlin, por exemplo, pensando nos consumidores que aproveitaram o tempo em casa para fazer pequenas melhorias, passou a disponibilizar o modelo de aluguel de ferramentas, e não só venda. A estratégia fez a empresa passar a projetar um aumento de receita no período.

Além disso, nas compras online, os comerciantes precisaram equipar seus negócios com as ferramentas necessárias para atender às novas necessidades dos clientes na hora do checkout. Segundo o estudo do Capterra, 35% dos consumidores online desistem da compra caso a loja em que estejam comprando não aceite seu método de pagamento preferido.

Assim, as lojas passaram a investir em plataformas que oferecem tecnologia para cobrança no e-commerce. A Vindi é uma plataforma completa que pode ser integrada às lojas online via API, e oferece os principais meios de pagamento aos negócios. A ferramenta também oferece ferramentas para cobranças recorrentes, criação de planos de assinaturas, recuperação de inadimplência e muito mais!

Se está na hora de seguir essas dicas e reestruturar seu modelo de negócio, fale com os consultores da Vindi! Eles vão te dar todo o apoio e informações para você vender mais e receber sempre!


Redação por:
Daniela Leite, redatora da Vindi.

Como fidelizar clientes com a ajuda da tecnologia

Como fidelizar clientes com a ajuda da tecnologia | Foto por Freepik.

Mais do que retenção, fidelizar clientes gera compradores recorrentes e também promotores do seu negócio. E para isso, a tecnologia pode auxiliar em processos de fidelização que seriam muito mais complexos sem ela.

Todo mundo sabe que conquistar um cliente é mais caro do que reter os que já existem. Quando levamos em conta o Custo de Aquisição de Clientes, o famoso CAC, podemos perceber, na ponta do lápis, como fica essa conta. São ações de marketing, mídias pagas, atendimento e outros recursos necessárias para transformar seu lead em um cliente. E, se você possui um CAC maior do que o seu LTV, você terá prejuízo.

Por isso, é altamente estratégico para os negócios, sobretudo digitais, focar esforços na fidelização da base que já possui. Há nichos de negócios super concorridos, devido à facilidade de abrir e promover um empreendimento digital. Então, o que te diferencia de seus concorrentes e encanta o cliente na sua jornada de compra?

Acompanhe a seguir algumas estratégias essenciais para você começar a fidelizar seu público.

5 dicas infalíveis para fidelizar seus clientes

Se o seu objetivo é fidelizar clientes, os pilares para isso acontecer passam pela experiência do cliente, pelo atendimento e pelas facilidades oferecidas, procurando tornar o processo único e agradável para seu público.

Atente-se à navegabilidade do seu site

Se você vende online, imagine que o seu site é a sua vitrine. Nada melhor para cativar o seu cliente do que a atratividade visual da sua plataforma. Ela deve ser fácil de navegar, intuitiva e bem organizada.

Isso não diz respeito somente à aparência do site, que também é importante, mas há outros critérios que proporcionam uma boa experiência de compra ao consumidor, como:

  • Rapidez no carregamento das páginas;
  • Responsividade para mobile, ou seja, páginas que se adaptam a telas menores dos smartphones e dispositivos móveis;
  • Facilidade de visualizar e encontrar os produtos;
  • Clareza de informações como preço e características do produto (cores, tamanhos);
  • Sugestões de cross sell, ou seja, indicação de produtos complementares ao que o cliente está olhando (feitas por Inteligência Artificial) e que podem interessá-lo no momento da compra ou futuramente.

Também é importante deixar bem claro as informações sobre a loja, como contato, CNPJ e certificados de segurança do site. Isso transmite credibilidade e cativa a confiança do consumidor para comprar e retornar outras vezes.

E não é porque é virtual que sua loja não deve ter um atendimento, como no presencial. As principais plataformas de e-commerce oferecem integrações com chats para que seja possível o cliente mandar perguntas e ser respondido em tempo real, o que aumenta as chances de sanar as dúvidas, efetuar a venda e fidelizar.

Ofereça facilidade de pagamento

De nada adianta uma experiência incrível na sua loja se, no momento de fechar a compra (checkout), seu cliente não puder contar com opções diversificadas de meios de pagamento e parcelamento.

Esse pode ser um fator decisivo para ele comprar ou desistir do carrinho de compras. Por isso, invista em soluções de pagamento digital que proporcionem, no mínimo, o recebimento por cartão de crédito, débito e boleto.

Para proporcionar uma experiência de pagamento ainda mais segura, dê preferência ao checkout transparente, ou seja, uma página de pagamentos dentro do seu e-commerce, sem a necessidade de redirecionar o cliente para um site externo, como o PayPal.

Hoje, também há outras soluções ainda mais facilitadoras, como o link de pagamento, que você pode enviar pelas redes sociais para o cliente e basta ele clicar e preencher os dados de cartão para realizar o pagamento.

Encante-o em todos os aspectos!

Faça o follow up

Após a compra, o processo não termina. Não se esqueça de fazer um follow up com seus clientes. Ele nada mais é do que um acompanhamento da satisfação com a compra, na qual o cliente pode responder pesquisas como o NPS (Net Promoter Score) ou, simplesmente, comentar sobre a experiência que teve, dar feedbacks e sugestões. Tudo isso através de e-mail ou mensagem.

Ter esse contato é super precioso para melhorar seus processos e produtos, entender o que funciona ou não com seu público e potencializar suas vendas!

Além disso, é importante estar sempre disponível para oferecer uma política de trocas e cancelamentos, caso necessário.

Seu cliente irá apreciar a responsabilidade e atenção da loja, e terá mais chances de se lembrar de você em uma compra futura.

Lembre-o da sua loja

Com a comunicação digital, a facilidade de contato com o cliente é muito grande, e é útil lembrá-lo de tempos em tempos que seu estabelecimento está oferecendo novidades, descontos e vantagens.

Crie sua lista de contatos e planeje esses conteúdos para enviar periodicamente, por e-mail ou Whatsapp, e aumente as chances de sua oferta reencontrar o cliente no momento certo.

Ofereça a recorrência

Se você trabalha com produtos ou serviços que podem ser consumidos com certa periodicidade – como farmácias, petshops, cosméticos, comida congelada, seguros -, você tem uma oportunidade incrível de oferecer ao seu cliente produtos e serviços por assinatura, aproveitando todos os benefícios da economia da recorrência.

Para isso, basta promover um modelo vantajoso, no qual:

  • O cliente pode contar com a entrega do produto em uma frequência combinada, sem ter que lembrar de fazer a compra todo mês;
  • Você recebe todo mês o valor da assinatura e garante a previsibilidade da sua receita mensal, por uma plataforma que automatiza a cobrança periódica e reduz a inadimplência.

A longo prazo, é possível oferecer preços especiais ou premiações para quem assina seu produto ou serviço (ainda mais chances de fidelizar clientes!).

Se você está procurando uma solução para os meios de pagamentos da sua loja, ou tem interesse no modelo de assinaturas, conte com a Vindi para ajudar o seu negócio a vender mais e sempre.


Redação por:
Daniela Leite, redatora da Vindi.

Recorrência: o modelo de negócio ideal para clubes de assinatura

Recorrência: o modelo de negócio ideal para clubes de assinatura | Foto por pressfoto no Freepik.

Receber produtos exclusivos em casa, com certa periodicidade, é algo cômodo e que traz experiências positivas para os clientes. Em resumo, é assim que funciona os clubes de assinatura. Ou seja, há uma recorrência na entrega de produtos e pagamentos.

Este modelo de negócio vem crescendo muito nos últimos anos no Brasil e no mundo. Por isso, se você tem um clube de assinatura ou tem a intenção de começar um do zero, veja como a recorrência é ideal para manter a saúde financeira da sua marca e trazer maior organização.

Acompanhe a leitura e entenda com detalhes o que é recorrência e como este modelo de negócio é um grande aliado dos clubes de assinatura.

O que é recorrência

Primeiramente, vamos compreender o que é recorrência!

O modelo recorrente é o pagamento automático para produtos e serviços vendidos por mensalidades, planos e assinaturas.

Com ele, é possível realizar cobranças automatizadas sem ocupar o limite do cartão de crédito do cliente, o que difere de uma compra parcelada.

Para ficar mais simples de entender, vamos aplicar a recorrência em um exemplo de clube de assinatura.

Um cliente assina um clube de assinatura de canecas personalizadas. Com isso, ele paga, por mês, uma taxa de R$50,00 reais. Assim, mensalmente, o cliente recebe em casa uma caneca diferente conforme o seu gosto.

O pagamento é feito, de forma automática, no cartão de crédito, todo mês.

A vantagem é que o cliente não esquece de pagar. Pois, o valor cai diretamente na fatura na data acordada. E, o dono do clube de assinatura sabe quando vai receber e tem maior previsibilidade sobre o fluxo de caixa.

Se quiser saber mais sobre recorrência, entenda como vender neste modelo de negócio, clicando aqui.

O modelo recorrente para clubes de assinatura

Se engana quem acha que a parceria da recorrência com os clubes de assinatura é algo novo. Lembra dos jornais e revistas que a nossa família assinava anos atrás?

Por exemplo, pagava-se uma taxa mensal, e eles recebiam os conteúdos impressos em casa, toda semana.

Viu só? Esta é a essência de um clube de assinatura. O que acontece é que, com o avanço da tecnologia, este estilo de compra evoluiu.

Hoje, existem clubes de assinatura com diversos produtos, experiências diferentes e periodicidades distintas.

O que é um clube de assinatura?

Mas, agora, vamos entender de fato o que é um clube de assinatura!

O clube de assinatura é um modelo de negócio que atua de forma recorrente. Ou seja, existe uma periodicidade determinada entre o clube e o cliente para pagamentos e recebimentos de produtos.

De forma geral, paga-se um valor fixo por mês. Com isso, o cliente recebe, em casa, produtos exclusivos uma vez na semana, no mês, no trimestre e por aí vai…

Ou seja, isso pode variar conforme o clube e a forma de contratação.

Mas, o mais importante é que você compreenda a essência da recorrência. Ou seja, a periodicidade que acontece entre pagar e receber.

Cosméticos, canecas, camisetas personalizadas, vinhos e cervejas são exemplos de produtos que possuem clubes de assinatura.

+ Leia também: Como montar um clube de assinatura: passo a passo completo

Principais características de um clube de assinatura

Existem diversos clubes de assinatura no Brasil e no mundo. Porém, mesmo com tantas variedades, alguns pontos são cruciais para um negócio de sucesso.

Veja as principais características de um clube de assinatura:

1. Produtos exclusivos para o cliente

Existem clubes de assinatura que oferecem produtos que os clientes já sabem o que vão receber. Outros, a partir de um perfil pré-estabelecido, recebem produtos surpresas.

Independentemente da estratégia, é preciso que estes produtos sejam exclusivos e diferenciados daqueles encontrados em lojas tradicionais. Além disso, ter uma boa curadoria dos produtos escolhidos pode ser um grande diferencial competitivo.

2. Comodidade de receber em casa

Quem não gosta da comodidade de receber produtos exclusivos em casa? Isso, faz do clube de assinatura ser um modelo de negócio tão atrativo para os clientes.

Nada como receber uma embalagem linda com um produto tão esperado, não é mesmo?

Mas, além da comodidade de receber em casa, o cliente ganha tempo! Pois, ele não precisa ficar escolhendo quais produtos ele quer comprar em lojas físicas e na internet. Já existe uma confiança na marca e na curadoria de produtos.

Na pandemia do Coronavírus, por exemplo, os clubes assinaturas se mantiveram resilientes e cresceram muito. No mês de Julho, por exemplo, o segmento cresceu em +13%.

3. Recorrência

Como já falamos neste post, o modelo recorrente tem tudo a ver com os clubes de assinatura por conta da sua frequência, por ser um consumo contínuo.

Porém, podemos citar alguns outros pontos sobre o porquê a recorrência é o modelo de negócio ideal para clubes de assinatura.

  • O seu cliente não esquece de pagar por ser um pagamento automático;
  • Não compromete o limite do cartão de crédito do cliente;
  • Maior previsibilidade do fluxo de caixa por ter uma data certa para receber;
  • Melhor gestão de estoque por saber a quantidade certa de produtos e frequência;
  • Fidelização de clientes por ser uma relação de longo prazo;
  • Redução da inadimplência por ser um pagamento automático.

Jeito simples e eficiente de realizar cobranças que acontecem de forma recorrente.

+ Leia também: 4 ferramentas para criar um clube de assinatura

Conheça a melhor plataforma de recorrência do mercado

Agora, que você já compreendeu como a recorrência é o modelo ideal para clubes de assinatura, você precisa pensar em como automatizar o processo de cobranças e pagamentos.

Por isso, conheça a plataforma de realizar cobranças e gerenciar pagamentos da Vindi. A plataforma é especialista no modelo recorrente. Com a plataforma, é possível:

  • Realizar cobranças automáticas;
  • Gerenciar todos os recebíveis;
  • Criar régua de cobrança personalizada;
  • Analisar transações em tempo real;
  • Relatórios completos;
  • E muito mais!

Além disso, a Vindi possui uma API de fácil integração, o gateway mais robusto do país e a certificação PCI Compliance, que garante a segurança da sua empresa e clientes em todas as transações.

Bônus


Redação por:
Natalie Angotti, copywriter e redatora da Vindi.

Inbound Marketing: por que a sua empresa precisa investir nisso?

Inbound Marketing: por que a sua empresa precisa investir nisso? | Foto por jcomp no Freepik.

O Inbound Marketing, também conhecido por “marketing de atração”, é a forma que as empresas têm para fazer com que o público chegue até o seu negócio. Agora, ser visto através das tradicionais mídia é secundário. Pois, a intenção é que a sua marca seja encontrada.

No post de hoje, aprenda o que é Inbound Marketing, a diferença para Outbound Marketing, as vantagens para a sua empresa e muito mais. Vamos lá?

O que é Inbound Marketing

O Inbound Marketing é o conjunto de técnicas que envolve a criação de conteúdos, compartilhamento de materiais e relacionamento com o público-alvo que foi impactado.

Por isso, quando falamos de Inbound Marketing, você precisa ter, de forma muito sólida, uma equipe de conteúdo que produza materiais de qualidade para atrair as pessoas certas para o seu negócio. Aqui, os clientes chegam até a sua marca!

Os nichos são menores e com desejos mais específicos.

Textos para blog, postagens em redes sociais, e-books e vídeos são exemplos de conteúdos que contribuem para a técnica do Inbound Marketing.

Leia também: Como vender mais no Instagram: 7 dicas imperdíveis

Inbound Marketing X Outbound Marketing

O Outbound Marketing é uma forma mais antiga de fazer marketing, em comparação ao Inbound Marketing.

Anúncios em rádios, televisões, materiais impressos, ligações de telemarketing e outdoors são exemplos de ações de Outbound Marketing.

Basicamente, a comunicação feita pelo Outbound Marketing é de mão única. Ou seja, é algo mais geral, onde não há um diálogo com o público. Por conta disso, as pessoas se tornam mais passivas para esta estratégias.

Conheça algumas características do Outbound Marketing:

1. Público amplo

Não é possível delimitar quem é alvo das suas divulgações. Quando você coloca um outdoor em um certo local, diversas pessoas passam por lá. Por isso, não é uma tarefa tão fácil escolher o público, de forma específica, que a sua empresa deseja atingir.

2. Unilateral

A marca oferece serviços e produtos sem retorno de diálogo.Por exemplo, uma propaganda durante uma novela em uma emissora no horário nobre, atinge diversas pessoas, de idades, hábitos e classes sociais diferentes. Elas recebem a informação, porém não interagem.

3. Dificuldade em metrificar

Neste tipo de ação, é muito complicado analisar métricas para acompanhar o alcance dessas mídias. Quando você faz uma divulgação no rádio, por exemplo, mensurar o número de ouvintes impactados, é complicado. Diferente de uma mídia online, que é possível analisar os resultados de uma campanha em certas plataformas.

4. O preço é mais caro

Por se tratar de uma estratégia abrangente, gasta-se mais dinheiro para impactar grande parte da população.

Características do Inbound Marketing

Agora, você já entendeu as características do Outbound Marketing! Que, dependendo da sua estratégia, funciona, sim, e é muito efetivo. Mas, nos dias de hoje, é possível atuar de forma mais “nichada” e assertiva em relação ao seu público, como no caso do Inbound Marketing.

Analise as características:

1. Público específico

Através de técnicas de Marketing Digital, como SEO e palavras-chave, o seu público consegue encontrar seus materiais através de buscas. A grande vantagem é que você atrai o público que de fato está interessado em seu conteúdo. E é aí que você encontra uma abertura para apresentar os serviços ou produtos do seu negócio.

2. Troca de diálogo

Com uma comunicação de mão dupla, o público pode ter acesso ao material criado e divulgado pela sua empresa e promover discussões. Por exemplo, quando um público vai até a sua página do Facebook e envia uma mensagem por inbox.

3. Relacionamento

Com o Inbound Marketing, as marcas ficam mais próximas. O vínculo se estreita! É possível que consumidores propaguem o nome da sua empresa, defendendo a marca e apontando falhas quando necessário.

4. Ações ao longo prazo

Os materiais criados podem repercutir ao longo prazo. Por exemplo, um texto no blog, é possível acessar por anos e anos. É claro, com as devidas atualizações. Mas, dura bastante tempo. Outro exemplo são os materiais de e-book, entrando nesta mesma condição de atualização.

Vantagens do Inbound Marketing

Diferentemente do Outbound Marketing, o Inbound Marketing permite uma comunicação de mão dupla. Ou seja, em sua característica, existe diálogo com o público em questão.

As técnicas de Inbound Marketing geram relacionamentos mais estreitos entre empresas e possíveis clientes e, consequentemente, confiança.

Veja as vantagens Inbound Marketing e o porquê a sua empresa precisa investir nisso:

1. Aproximação com o cliente

Com a internet e um Marketing de Conteúdo bem feito, as pessoas podem chegar até a sua marca. Criar e-books, vídeos e textos para blogs, ricos em informações, facilitam a jornada do cliente. Assim, é possível encantar o seu público cada vez mais!

2. Convencimento

No Inbound Marketing, você tem maior poder de persuasão. Sendo este, um elemento muito importante para fechar vendas. Com um fluxo bem definido, você consegue conversar com o seu público, munindo de conteúdos relevantes. Depois, é possível mostrar como a sua marca pode contribuir para a resolução do problema dele, até a tomada de decisão.

Quando a gente fala de jornada de compra, temos as 3 etapas do funil.

  • Topo  (Aprendizado e descoberta);
  • Meio  (Consideração e intenção);
  • Fundo  (Avaliação e decisão).

Na imagem abaixo, você pode entender melhor como funciona o funil do inbound:

Funil de Vendas
Funil de Vendas | Imagem por rdstation.com

3. O preço é mais barato

Se você deseja saber sobre o custo de ter essa técnica no seu negócio, fique atento agora!

O Inbound Marketing é mais barato que as soluções tradicionais de divulgação. E, é um investimento muito eficiente! Com menos dinheiro, você pode aplicar no seu público-alvo específico e ter retornos incríveis.

+ Se você tem um negócio SaaS, leia também: Precificação SaaS: modelos de vendas, principais práticas e exemplos.

4. Facilidade para metrificar

Contra dados, não há argumentos! Não é mesmo? E, para um marketing de sucesso, é preciso analisar resultados para tomadas de decisões mais assertivas. No Inbound Marketing, é possível metrificar dados em tempo real. Assim, você consegue ver com precisão se o que a sua empresa faz está dando certo ou não.

Peças fundamentais para montar estratégias

Para montar a estratégia de Inbound Marketing da sua empresa, você precisar refletir muito bem sobre 4 pontos. A partir deles, você consegue ser mais assertivo e conquistar maiores resultados. Veja:

  • Persona;
  • Jornada;
  • Conteúdo;
  • Metodologia.

Marketing, Vendas e Gestão Financeira

Não basta adquirir um monte de clientes e não ter técnicas para fidelizá-los, né? Então, para facilitar o dia a dia da sua empresa, pense em ferramentas para automatizar processos.

A plataforma da Vindi, por exemplo, é completa para você realizar cobranças e fazer toda a gestão de pagamentos do seu negócio.

Com ela, é possível personalizar réguas cobranças, analisar relatórios em tempo real, fazer a gestão de clientes do seu negócio recorrente e muito mais.

Conheça a melhor plataforma de pagamento do mercado! 

Bônus


Redação por:
Natalie Angotti, copywriter e redatora da Vindi.

EdTech: o que é e como está inovando a educação

EdTech: o que é e como está inovando a educação. | Foto por Freepik.

O jeito tradicional de aprender, estudar e pesquisar está mudando. A sala de aula tradicional, com lousa, caneta e giz está perdendo espaço para uma cultura mais dinâmica e interativa. E, dentro deste cenário de novidades na educação, a EdTech é a bola da vez!

Para entender melhor este contexto todo, vamos falar primeiramente de como funciona a era 4.0 da educação. Em seguida, o que é e como as EdTechs estão inovando o segmento. Acompanhe o material até o final e fique por dentro deste tema!

O que é Educação 4.0?

O termo Educação 4.0 está relacionado ao conceito da Quarta Revolução Industrial. Ou seja, o conceito da Indústria 4.0, a evolução da tecnologia e o impacto dela na nossa rotina.

Quando falamos de Indústria 4.0, abordamos o uso da tecnologia com o objetivo de automatizar serviços. Alguns exemplos são:

  • Internet das coisas;
  • Inteligência artificial;
  • Análise de dados;
  • E mais!

Na Educação 4.0, muito se fala em learning by doing. O que significa que os alunos devem aprender além das tradicionais teorias. Ou seja, entender na prática, conceitos e conteúdos, com uma experiência mais interativa e dinâmica.

Essa mudança de formato para ensinar e aprender com o auxílio da tecnologia, vai muito além de dispositivos, como computadores, tablets e celulares. E, o papel dos professores é muito importante, pois eles fundamentais no incentivo da trajetória de aprendizagem dos alunos.

Nos dias de hoje, aprender pode acontecer por meio de aplicativos, jogos e softwares que trazem a experiência, despertam o senso crítico e a discussão saudável.

O que é EdTech?

EdTech é o uso da tecnologia para potencializar a educação. Como o próprio nome já diz, é a junção das palavras, já traduzidas para o português, “educação” e “tecnologia”. Através da união da educação com a tecnologia, tornou-se possível utilizar de ferramentas que usam de conceitos como a realidade virtual, inteligência artificial e gamificação durante o processo de aprendizagem.

Isso faz com que as disciplinas sejam mais divertidas, fazendo com que a fixação do conteúdo seja melhor e mais proveitosa.

Como as EdTechs estão inovando a educação?

Com a tecnologia, os alunos podem aprender das formas mais variadas e criativas. Conforme citado no início do texto, as salas de aulas estão se adaptando e ficando cada vez mais interativas e atrativas.

E, atualmente, é possível aprender sem sair de casa com o ensino a distância, o chamado EAD. Uma modalidade que faz sucesso em todas as idades devido a sua flexibilidade.

Entenda de que forma as EdTechs estão inovando o contexto da educação!

Recursos didáticos

Através da realidade virtual (RV) e aumentada (RA), o aluno pode ter melhor compreensão com o contato físico. Isso pode ser aplicado em uma região ou em qualquer outro cenário inacessível dentro dos padrões do cotidiano. Facilita a experiência de lugares, produtos e sensações.

Capacitação dos professores

O papel dos professores é fundamental na trajetória dos alunos. Por isso, é muito importante que os professores utilizem da tecnologia para buscar aperfeiçoamento através de cursos online, pós-graduação, troca de experiências etc.

Plataformas e cursos online

Aprender online é possível! Hoje, são inúmeras as plataformas de cursos online e webinars. Com diferentes valores e temas, é possível encontrar cursos livres e profissionalizantes para dar um UP no currículo e aprender algo novo e diferente.

+ Leia também: 5 plataformas de cursos online para você estudar na quarentena

Crescimento das EdTechs no mundo

Para você ter uma ideia, até o final de 2019, o mercado de EdTechs crescia 17% ao ano (EdtechXGlobal & Ibis Capital). A previsão para 2020 é muito positiva, segundo a pesquisa, com um faturamento de US$ 252 bilhões.

Por conta da pandemia que estamos vivendo, o nosso hábito de consumo mudou, e muito! Colégios, faculdades, cursos de idiomas etc, tiveram que, mesmo que de forma forçada, a se adaptar ao novo cenário de ensino.

Em uma pesquisa publicada pelo Google, a busca por aulas e cursos online aumentou. As plataformas que oferecem educação a distância crescem no período de pandemia. E, a palavra-chave “e-learning” aparece nos buscadores com muita força desde o mês de março.

+ Leia também: EdTechs e a crise: a educação está se reinventando?

Quais são os desafios das EdTechs?

Dentro do mercado das EdTech existem muitas possibilidades! Porém, muitos desafios precisam ser superados e vencidos. Neste atual momento, com o aumento das buscas pelo formato de aprendizagem com o apoio da tecnologia, é preciso pensar em alguns pontos importantes. Confira!

Conteúdo personalizado

O jeito de ensinar é variado. Cada pessoa aprende de um jeito diferente. Portanto, pesquise e entenda o perfil do seu aluno (público-alvo). Reflita se você está fazendo um conteúdo para crianças, adolescentes, adultos ou idosos. Entenda qual é a melhor maneira para que o assunto seja compreendido.

Experiência encantadora

Encante o seu cliente! Tenha bons conteúdos, boa didática, uma plataforma intuitiva etc. Invista em materiais de apoio, em formatos diferentes e traga a melhor experiência possível.

Jeito de realizar cobranças

Bom, para finalizar, é preciso pensar na forma como realizar cobranças e gerenciar pagamentos dos alunos da sua EdTech. Afinal, ter um planejamento financeiro é fundamental para manter a saúde do seu negócio.

E, para simplificar, você pode escolher por uma plataforma para gerenciar pagamentos online.

A Vindi, por exemplo, é a solução completa para administrar cobranças. Em um único lugar, é possível cobrar, receber, enviar notificações, acompanhar transações e analisar relatórios em tempo real. Conheça a plataforma!

Se você tem um negócio de EdTech, transforme o seu modelo de negócio com a recorrência e potencialize suas vendas! Veja o que é e como escolher um sistema de cobrança.

Bônus


Redação por:
Natalie Angotti, copywriter e redatora da Vindi.

Confira 4 dicas para sua equipe vender no home office

4 dicas para sua equipe de vendes no home office
4 dicas para sua equipe de vendes no home office | Foto por yanalya no Freepik.

Durante o isolamento social causado pela pandemia do COVID-19, as empresas precisaram adaptar toda a operação e, principalmente, a forma de vender. Com os funcionários trabalhando de casa surgiram diversas dúvidas e, uma delas, foi sobre como fazer um time de vendas bater as metas em um ambiente totalmente diferente.

Por isso, separamos 4 dicas para ajudar os gestores nessa missão. Confira a seguir.

1. Qualidade do ambiente de trabalho

Primeiro de tudo, é preciso garantir qualidade para que os funcionários trabalhem de casa, sejam eles do time de vendas ou não.

Algumas empresas enviaram os notebooks e as cadeiras para as casas dos colaboradores. Outras fizeram testes de todas as ferramentas que são utilizadas no escritório, por exemplo, a telefonia, tão essencial para a equipe comercial.

E colher os feedbacks dessas ações para validar a nova estrutura é essencial para melhoria constante do processo, que precisou mudar bruscamente em meio a toda essa crise.

2. Fortalecer o trabalho em equipe

Os times que atuam na área comercial são conhecidos pelo calor humano. Os vendedores são intensos e é sempre uma área bem agitada. Por isso, é importante utilizar técnicas que fortaleçam esse clima mesmo de longe.

A confiança mútua entre líder e liderados deve ser reforçada e o gestor deve se mostrar presente para diversas questões. Afinal, um bom trabalho também depende da qualidade da saúde mental dos funcionários e a liderança precisa ficar atenta a esses pontos.

A comunicação também é um ponto de extrema importância para fortalecer o trabalho em equipe. É preciso estar mais atento aos canais utilizados e ter mais empatia na hora de mandar e responder mensagens.

3. Redefinição de prioridades e metas

O home office não é comum para equipes comerciais. Por isso, é preciso redefinir as prioridades e as metas quando o cenário não é mais o escritório. E, o time também deve fazer parte dessas definições. Afinal, as novas prioridades vão sendo descobertas junto com a nova rotina.

Além disso, os indicadores chave de performance precisam estar claros, além de fazer o acompanhamento diário dos leads em um CRM, é interessante criar uma planilha onde o time todo consegue ver o andamento de KPI’s.

4. Mantenha os rituais

Seu time fazia daily no escritório? Esse alinhamento diário é importante, às vezes até mais, quando estamos trabalhando de casa. Defina um horário confortável para essa reunião e peça para que todos liguem as câmeras, isso torna o ambiente mais pessoal.

Outra dica muito bacana é inserir uma cerimônia ao final do dia, de poucos minutos, para saber como o time está, um bate-papo descontraído para que as pessoas sintam-se mais acolhidas.

Ter um time alinhado com as metas, com a cultura da empresa e um gestor preocupado com a saúde mental desses colaboradores são dicas essenciais para alcançar o sucesso em vendas, mesmo em tempos difíceis.

Para ajudar ainda mais nesta transição, nós da Vindi preparamos um kit especial com três materiais:

  • Uma live com nossa Head Comercial, Alexandra Papangelacos, contando um pouco mais sobre como foi essa mudança na Vindi;
  • Um podcast sobre como começar a estratégia inside sales na sua empresa;
  • E um artigo sobre como escolher o modelo de vendas ideal para o seu negócio.

Clique na imagem abaixo para ter acesso ao material.


Redação por:
Mariana Cremonesi, redatora na Vindi.

Como vender mais no Instagram: 7 dicas imperdíveis

Foto por Freepik.

O Instagram se popularizou pelo compartilhamento de imagens. Porém, essa rede social foi além de postar fotos de uma viagem incrível, jantares de dar água na boca e registrar momentos inesquecíveis com amigos e família.

Atualmente, é possível vender na plataforma. Isso mesmo! Muitas marcas aproveitam os mais de 1 bilhão de usuários ativos para alavancar vendas. E, quando eu digo isso, não estou falando em divulgar a marca não, estou falando de vender mesmo.

Então, se você quer saber como vender mais no Instagram, acompanhe esse texto até o fim e saiba aproveitar essa plataforma a favor do seu negócio. Vamos lá?

Aproveite as oportunidades da plataforma

Usar a plataforma do Instagram não é tão difícil quanto parece. Porém, é preciso se atentar em alguns detalhes. Além de criar um perfil dos seus produtos ou serviços, é preciso mantê-lo atualizado com postagens periódicas e oferecer um atendimento online com agilidade e atenção. Mesmo sendo uma estratégia online, o bom relacionamento com o cliente deve ser mantido sempre!

7 dicas de como vender mais no Instagram

Listei 7 passos para você ampliar suas estratégias para vender no Instagram e aproveitar essa rede social que possui tantos usuários com alto poder de engajamento. Confira!

Baixe o aplicativo no seu celular

O Instagram é uma plataforma que pode ser baixada tanto no sistema Android, como no IOS. Lembrando que este é um aplicativo gratuito, então aproveite!

Crie um perfil comercial para começar a usar

Na hora de criar um perfil, opte pelo caráter comercial. Caso você já tenha uma conta ativa no Instagram, você pode fazer essa transição na opção “alternar para o perfil comercial”.

Coloque informações úteis na sua bio

Aquele textinho na BIO, mesmo com o uso de poucas palavras, é muito importante! Lá, você vai descrever o diferencial da sua marca, quais produtos ou serviços você está vendendo e outros meios de comunicação e divulgação da sua marca (WhatsApp, site, telefone), por exemplo.

Capriche na qualidade das fotos, vídeos e legendas

Um feed bonito e bem organizado chama muito mais atenção! Por isso, fique atento ao uso de filtros, qualidade das imagens e disposição dos elementos. Faça com que seu feed seja extremamente atrativo para seus visitantes do perfil. Com isso, você aumenta as chances de uma compra efetiva. Invista em imagens bem produzidas e vídeos, uma vez que possuem um alto poder de visualização. Nas legendas, deixe informações úteis para quem está querendo comprar algo.

Poste com frequência

Por se tratar de uma rede social muito interativa, poste com frequência para que seus visitantes acompanhem as novidades, as promoções e os produtos em destaque. Assim, você vai despertar interesse e vender mais no Instagram. Lembre-se de fazer postagens no feed e nos stories, que é uma estratégia de divulgação excelente também.

Tenha um bom relacionamento com os visitantes

Tire as dúvidas dos seus clientes, seja pelos comentários ou por mensagens no direct. Esse cuidado faz toda a diferença. Seja solícito e tenha um tempo de resposta curto. Afinal, você não quer fazer seu potencial cliente esperar para tomar a decisão de compra, né?

Cobre com facilidade através do link de pagamento

Agora que você já sabe como vender mais no Instagram, conheça um jeito simples de realizar cobranças dos seus clientes com o link de pagamento.

O link de pagamento é ideal para quem não possui uma loja virtual, como um e-commerce, e precisa realizar pagamentos. Veja como é simples criar este link com a plataforma de pagamentos online da Vindi.

1º Contrate a plataforma da Vindi;
2º Crie um link de pagamento personalizado;
3º Compartilhe este link com seus clientes nas redes sociais.

Viu só como é simples? Inovar e se reinventar faz parte da estratégia de todos os negócios. Espero que você tenha gostado das dicas de como vender mais no Instagram. Para saber mais sobre a plataforma da Vindi, clique aqui e confira mais.

Navegue pelo blog e leia também outros artigos para você vender ainda mais


Redação por:
Natalie Angotti, copywriter e redatora da Vindi.

Recorrência no setor de beleza: tecnologia para pagamentos

Foto por Freepik.

A tecnologia e o setor de beleza estão cada vez mais próximos no mundo dos negócios (sim, é verdade!). Se você tem um salão de beleza ou uma clínica de estética, por exemplo, tenho certeza que você está sempre em busca de novos aparelhos, cosméticos, tratamentos e soluções que façam uso da tecnologia, não é mesmo? Afinal, é preciso encontrar formas de sair na frente dos concorrentes, agregar valor e fidelizar clientes. E, é por isso, que a recorrência no setor de beleza está sendo um grande diferencial.

Tecnologia no setor de beleza

No material de hoje, vou te mostrar como a tecnologia está inserida dentro dos salões de beleza e em clínicas de estética não só quando o assunto é tratamento e cuidados com a pele, corpo e cabelo. A tecnologia está também no modo como você vai cobrar dos seus clientes de forma facilitada e fazer a gestão financeira do seu negócio. A recorrência no setor de beleza, por exemplo, está ganhando cada vez mais espaço. Acompanhe aqui comigo e veja como esse modelo de negócio pode ser vantajoso para salões e clínicas de estéticas!

A era digital e suas facilidades

Agora, marcar um horário na clínica de estética e no salão de beleza, pode ser feito através de aplicativos, websites e/ou mensagens nas redes sociais. Os agendamentos online são grandes aliados na captação de clientes, pois em poucos cliques, é possível garantir aquele horário certeiro dentro de uma semana corrida. Porém, para fidelizar esse cliente, é preciso se preocupar com toda a jornada dele, não apenas no agendamento, não é mesmo? E é aí, que a tecnologia pode facilitar na hora de realizar e cobrar pagamentos!

Recorrência no setor de beleza: tecnologia para pagamentos

Você já parou para pensar que salões de beleza e clínicas de estética possuem total fit com o modelo recorrente? Vou dar só alguns direcionamentos e você vai notar que sim, quer ver? Quem tem o costume de fazer a unha, busca quase que, semanalmente, por este serviço. Para quem gosta de manter as madeixas bem cuidadas, busca por salões a cada quinze dias ou uma vez no mês. Tratamentos estéticos exigem uma periodicidade para que, de fato, possam ser efetivos.

Você percebeu que todos os itens que eu citei têm uma periodicidade? Ou seja, o modelo recorrente é ideal para serviços que são usados de forma contínua. Por isso, a recorrência no setor de beleza tem tudo a ver. E, quando eu falo que este é um belo match, significa que ambas as partes saem ganhando, tanto os salões e clínicas, quanto os clientes. Mas, antes de explicar essas vantagens, vou aprofundar um pouco mais sobre o que é recorrência para que você não fique com dúvidas.

Recorrência nos mínimos detalhes

A recorrência é a venda por planos, assinaturas e mensalidades. Como citei no parágrafo acima, é o serviço ou produto consumido de forma contínua. Outro ponto que também caracteriza a recorrência é que ela acontece de forma automática. A cobrança recorrente acontece da seguinte forma: a clínica de estética ou o salão de beleza escolhe uma data de recebimento e, de forma automática, esse valor é descontado do cartão de crédito do cliente. Esse valor será cobrado de forma contínua até a finalização da prestação do serviço.

É importante que as empresas criem um contrato bem organizado e detalhado para que ambas as partes estejam bem alinhadas em relação a data do pagamento e até quando esse serviço será descontado do cartão do cliente. Ou seja, qual a validade do plano acordado.

Recorrência X Parcelamento

Você deve estar se perguntando: qual é a diferença da recorrência para o parcelamento, então? Calma que eu vou te explicar! A recorrência é diferente do parcelamento em alguns aspectos. Antes mesmo do uso do cartão de crédito, o parcelamento já era muito utilizado nos tempos de cheques (hoje em dia tudo está mais fácil, né?).

Vamos para um exemplo prático:

Se você vai comprar um produto que custa R$ 300,00, você pode pagar em 3x de R$ 100,00. Ou seja, é uma venda pontual, onde o valor total é dividido em parcelas e, para isso, você precisa ter o valor total disponível no limite do cartão. Mas, na recorrência, ao contratar um serviço ou comprar um produto no valor de R$ 300,00, você só vai precisar ter o limite no cartão referente ao pagamento mensal. Ou seja, os R$ 100,00 referentes ao mês.

Esses exemplos acima são situações para compras que não possuem juros, pois nesse tipo de venda pontual parcelada, é possível adicionar esse acréscimo conforme o número de parcelas. O empresário pode optar por arcar com essas taxas ou repassar para seus clientes. Já na cobrança recorrente não há juros, uma vez que o produto ou serviço foi vendido em forma de mensalidade, planos ou assinaturas, o que já possui um valor base estabelecido.

Vantagens da recorrência no setor de beleza

O modelo recorrente traz inúmeras vantagens para os negócios e para clientes. Fiz uma listinha aqui para gente acompanhar:

  • A empresa tem mais controle do seu fluxo de caixa, pois passa a ter uma receita recorrente e previsível;
  • O cliente não esquece de pagar por ser algo automático, diferentemente de um boleto;
  • Não compromete o limite do cartão do cliente na hora de fazer a aquisição do plano;
  • A taxa de inadimplência da empresa diminui por ser um recebimento automático.

Plataforma para vender no modelo recorrente

A Vindi é uma plataforma completa para realizar cobranças e gerenciar pagamentos online. Com mais de 6 mil clientes, o setor de beleza faz parte dessa grande carteira. Com uma solução tecnológica, é possível automatizar processos, criar réguas de comunicação, enviar notificações e muito mais. Se você tem um salão beleza ou uma clínica de estética e sentiu que pode potencializar o seu negócio com a recorrência no setor de beleza, conheça mais sobre a Vindi.

Bônus: tecnologia para outros setores

Confira no nosso blog como a tecnologia está contribuindo para outros setores também.


Redação por:
Natalie Angotti, copywriter e redatora da Vindi.

WhatsApp: aprenda a usá-lo como ferramenta de venda

Foto por Freepik.

Por conta da crise espalhada pelo COVID-19, muitas empresas precisaram reinventar sua forma de vender para continuar funcionando durante este período. Afinal, o comércio precisou fechar as portas, por ordem do Governo, para ajudar no combate a disseminação do vírus. Por isso, hoje, vamos te mostrar como transformar o WhatsApp em ferramenta de venda.

Crie uma relação com seus clientes

O WhatsApp, hoje em dia, é um dos principais canais de comunicação entre as pessoas. Muita gente ainda acha invasivo receber o contato de empresas via este canal, por isso, antes de sair mandando promoções e outros tipos de comunicação sobre o seu negócio, é preciso criar uma relação com seu cliente.

Pergunte se tudo bem pra ele ser contactado via WhatsApp, quais os melhores horários para conseguir falar com ele neste canal. Não crie grupos e coloque as pessoas sem sua prévia permissão.

Apesar de muito prático, é preciso usar essa ferramenta de forma profissional para que ela seja eficiente na hora da venda.

Utilize a lista de transmissão da forma correta

O WhatsApp possui uma funcionalidade chamada lista de transmissão. Com ela, é possível enviar mensagens para vários clientes ao mesmo tempo.

Uma ótima forma de anunciar promoções e novidades, sem perder muito tempo escrevendo mensagem por mensagem. Mas, não abuse. Pois, se o disparo da mensagem ocorrer para um grande número, inclusive, para contatos que não estão na sua agenda, o WhatsApp considera como spam e pode, inclusive, banir sua conta.

Por exemplo, um bom conteúdo para enviar através da lista de transmissão é sobre o seu funcionamento, principalmente, durante a pandemia.

Você pode avisar que seu ponto de venda está fechado, mas continua atendendo de forma online, através do próprio WhatsApp ou redes sociais.

Programe o conteúdo

É importante produzir conteúdo interessante e relevante sobre os seus produtos ou serviços. Algo que o seu cliente realmente queira ver, por isso, é essencial conhecer o seu público.

Não envie mensagem todos os dias. Crie um calendário para realizar o envio do conteúdo. Informe seu horário de atendimento através daquele canal, para que seus clientes saibam a melhor hora para falar com você.

Realize as cobranças de forma online

Sabemos que quem tem uma loja física, conta com o auxílio da maquininha para realizar suas cobranças, Mas, e neste momento? Saiba que também é possível cobrar seus clientes de forma online.

Basta enviar um link de pagamento na própria conversa do WhatsApp, para que seu cliente efetue o pagamento. Vamos te explicar melhor.

Link de pagamento: como funciona

O link de pagamento funciona como uma maquininha online. Você envia o link de cobrança de um determinado produto ou serviço para o seu cliente via WhatsApp, ou rede social, e ele realiza o pagamento.

É possível receber através de cartão e boleto com essa funcionalidade, com a vantagem de não precisar de uma maquininha para cada bandeira de cartão, afinal, o link permite que você aceite qualquer bandeira.

WhatsApp Business

O próprio WhatsApp já criou a sua funcionalidade para negócios. Se você tem dinheiro para investir, vale a pena contratar a modalidade do WhatsApp Business para conseguir gerenciar o contato com sua carteira de clientes.

Você consegue inserir diversos dados sobre sua empresa, criando um perfil comercial na conta e conseguindo atender os clientes de uma forma melhor.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre como utilizar o WhatsApp como ferramenta de venda, coloque em prática e comece agora mesmo! E, se quiser saber como vender através do Instagram, só clicar aqui.


Redação por:
Mariana Cremonesi, redatora na Vindi.

Ferramentas que ajudam a continuar vendendo durante a crise

Foto por tirachardz no Freepik.

No atual momento, todos se perguntam como a economia vai se recuperar depois desta crise. Muitos negócios já estão sem poder funcionar. Outros, infelizmente, já fecharam as portas. E o empreendedor se perguntando: como continuar vendendo em meio a tudo isso?

Mas, ainda há esperança e quem está reinventando o modelo de negócios está conseguindo sobreviver. Por isso, listamos algumas ferramentas que vão te ajudar a continuar vendendo mesmo com um futuro incerto para a economia. Confira abaixo!

Assinaturas eletrônicas

Com a questão da quarentena e isolamento social, assinar documentos pode ser uma grande dor de cabeça. A logística está mais complicada, além do fato das pessoas evitarem contato por conta do isolamento social.

Quem pode ajudar neste momento são as ferramentas de assinatura eletrônica, como a Clicksign e Docusign. Serviços como estes, permitem que você realize a assinatura de contratos e documentos com validade jurídica de forma online.

Link de pagamento

Com o contato físico cada vez mais restrito, as pessoas estão evitando utilizar a maquininha de cartão, além do fato de estarem pedindo para receber tudo em casa. Mas, como cobrar estes clientes então?

A solução vem através do link de pagamento. Uma ferramenta que permite que você cobre por seus produtos e serviços através de um link enviado por e-mail, WhatsApp ou qualquer rede social. Você pode escolher cobrar com cartão ou boleto, mas tudo através do link.

Facilidade e segurança para vender sem sair de casa para todo o Brasil. Uma maquininha online, que aceita qualquer bandeira.

Redes sociais

Falando em redes sociais, essa é uma das maiores ferramentas que sua empresa pode usar agora. Todo mundo está em casa, consumindo mais conteúdo, passando mais tempo conectado.

Faça sua marca ser presente em Instagram, Facebook, Pinterest. É importante estar próximo do público neste momento, divulgando seus produtos e serviços, além dos diferenciais do seu negócio.

Hangouts

O Hangouts tem se mostrado uma ferramenta útil para todo mundo atualmente. Não só as famílias e os amigos estão usando para se comunicarem em meio ao isolamento. Mas, as empresas também estão utilizando para continuar em contato com seus clientes.

Seja para fazer reuniões ou alinhamentos, quanto para dar aulas online, as escolas estão utilizando este produto para continuar a programação do ano letivo.

Transformação digital é o nome do sucesso

Todas as empresas precisam ser digitais agora. Precisam migrar suas operações para o mundo online, precisam estar com sua marca presente. Essa é a única forma de continuar vendendo e faturando.

Rodrigo Dantas, CEO da Vindi, fez uma live sobre o assunto muito bacana, com várias dicas e insights. Ela ainda está disponível aqui.

Fique bem e, se tiver dúvidas sobre como continuar vendendo neste momento, deixe nos comentários!


Redação por:
Mariana Cremonesi, redatora na Vindi.