Eventos & Covid-19: Como a área está se adequando

Foto por pressfoto no Freepik.

A pandemia causada pelo Covid-19 teve um impacto profundo na sociedade do século XXI como antes nunca visto, tanto na área da saúde quanto na área econômica. Consequentemente, temos notado o crescente aumento no número de eventos online.

De um mês pra cá houve uma repentina transformação no modelo de evento no geral. A teoria de VUCA – volatility (volatilidade); uncertainty (incerteza); complexity (complexidade); ambiguity (ambiguidade), nunca se mostrou tão aplicável e o preparo para tal mundo, vital para a crise que vivemos. O VUCA, aplicado no mundo dos negócios, mostra como o ambiente empresarial na atualidade também é agressivo, desafiador, competitivo e veloz, ou seja, esse também é o novo “normal” das organizações de qualquer natureza.

Abruptamente a área de eventos foi muito impactada. Os grandes eventos, de maneira que quase total, tiveram que ser adiados ou cancelados, como por exemplo os Jogos Olímpicos de Tóquio, SXSW, E3, entre outros. Já eventos de pequeno e médio porte garantem uma melhor adaptabilidade nesse cenário.

A fim de manter a qualidade de conteúdo, o preparo do material que irá ser disponibilizado tem que ser bem embasado e de forma rápida, para não perder o timing. Dessa maneira, a rápida adequação da área de eventos está sendo crucial para a progressão das atividades. O uso se varia em webinars, lives, e-books, treinamentos e até interações mais simples e diretas como stories do Instagram.

Entretanto, atente-se: as mídias sociais são os lugares mais estressantes do mundo no momento. Há atualizações a cada segundo sobre novos números, desde atualizações do governo, histórias, até cursos e entretenimento. É importante encontrar um diferencial, uma experiência no webinar, um palestrante que há tempos gostaria de chamar, mas por questões de agenda não coincidia.

Pensando nesse contexto, preparamos algumas dicas que podem ajudar na hora de idealizar e colocar em prática o seu evento:

Determine se o seu evento é adequado para o formato online

O período de quarentena veio para provar que a transmissão online pode servir para praticamente todo e qualquer evento! Você pode sair do clássico webinar, videoaulas e mentorias e arriscar adaptando o seu modelo.

No Instagram, por exemplo, artistas estão mobilizando a web através de pocketshows, aulas, festas e até treinos. Tudo sem sair de suas casas e acumulando milhares de views.

É claro que ações como essas tem um intuito muito maior de manter o engajamento nas redes sociais do que promover a experiência de um evento. Mas vale pensar fora da caixa (tem negócios promovendo happy hour virtual)!

Agora, se o seu evento é uma feira culinária, por exemplo, onde a experiência consiste totalmente no paladar do participante, talvez a única solução seja realmente o adiamento.

Defina qual será o público alvo do seu evento

Entender quem você deseja atingir, saber onde esse público está na web e como ele se comporta é essencial para garantir o sucesso do seu evento.

Não adianta nada fazer uma live de bate-papo no TikTok sobre investimentos se o público da plataforma é majoritariamente de adolescentes que, provavelmente, pouco se interessa por este tipo de conteúdo.

Para isso, é válido fazer um pesquisa sobre o perfil almejado e até mesmo conferir o que negócios semelhantes estão fazendo. O benchmarking nessa hora pode ser de grande valor.

Pesquise uma boa plataforma para entregar um ambiente de qualidade ao participante

Eventos online podem até parecer simples de ser realizados, mas uma série de requisitos mínimos são necessários.

Antes de mais nada, é necessário assegurar que todos os participantes envolvidos tenham uma boa conexão de internet, pois a instabilidade pode acabar, literalmente, com sua transmissão.

Dependendo do seu objetivo com o evento, há uma série de serviços na nuvem que podem te ajudar. Desde a realização de lives através do Instagram e Youtube, como plataformas exclusivas para esse fim, como o Eventials e o Zoom (este que tem ganhado bastante popularidade nas últimas semanas).

Agora, se a sua intenção é uma transmissão super profissional, com mudança de cenas, variadas telas, recursos visuais e afins, será necessário o uso de softwares específicos como o OBS Studio – além de muita pesquisa ou um profissional para lidar tecnicamente com a transmissão.

Promova a interação, com os recursos de bate-papo e perguntas e respostas

Eventos online têm uma concorrência desleal pela atenção do seu participante. Na internet são inúmeras as distrações que podem fazer com que esse espectador divida a atenção ou, pior, foque em outros conteúdos ao invés do seu evento caso não seja estimulado.

Por isso, provocar a interação é uma estratégia primordial para reter o público assistindo ao seu evento e fazê-lo de fato, ter a experiência que você quer passar. Estimule os espectadores a fazerem perguntas, crie enquetes, leia constantemente os comentários (isso faz com que o espectador se sinta notado) e estimule o compartilhamento do evento nas redes sociais.

Além disso, o número maior de views, curtidas e comentários no seu evento ajuda que ele alcance mais pessoas organicamente.

Faça sorteios para os participantes!

Essa é uma das melhores formas de conseguir aderência e engajamento ao seu evento. Negócios podem aproveitar a ocasião e sortear o seu produto – seja ele material ou um serviço. Pense em uma marca de cosméticos: ela pode sortear um batom recém-lançado ou um curso para maquiagem, por exemplo. Caso não tenha um produto, é hora de ativar seu relacionamento e buscar parcerias, podendo sortear produtos e serviços de parceiros.

Além disso, pode ser interessante a ativação e presença da sua marca, sorteando brindes com seu logo (camisetas, adesivos, canecas, ecobags e por aí vai).

E aí, convencido que o isolamento social – muito necessário, aliás – não é desculpa para adiar seu calendário de eventos? Confira o que nosso ecossistema está promovendo agora mesmo e inspire-se!


Redação por:
Caio, da Campinas Tech

Apoio e Revisão:
Felipe e Maíra, da Campinas Tech